sábado, 31 de dezembro de 2011



Última derrota para o campeonato foi... em Alvalade



É necessário recuar até 28 de Fevereiro de 2010 para se encontrar a última derrota do FC Porto em jogos do Campeonato. O deslize aconteceu em Alvalade, que será, curiosamente, o primeiro adversário dos campeões no novo ano. Haverá contas para ajustar com o leão, mas o mais importante deste sensacional reencontro será conseguir os três pontos, para assim seguir na liderança da competição.São quase dois anos a trabalhar ao ritmo de um lança-chamas, chamuscando todos aqueles que lhe foram surgindo pela frente. Quando chegarem a Alvalade, no próximo dia 7, a equipa orientada por Vítor Pereira somará uns impressionantes 681 dias (!) em que apenas soube ganhar ou empatar nos 52 jogos disputados para a Liga. Vistas bem as coisas, os dragões encontram-se apenas a oito desafios de perfazer dois campeonatos sem desaires. É obra!

GLOBE SOCCER AWARDS



Na gala Globe Soccer Awards a decorrer no Dubai, Pinto da Costa, presidente do F. C. Porto, recebeu o prémio carreira, sucedendo ao dirigente do Milan Adriano Galliani.

foto Ricardo Júnior/Global Imagens

No dia em que comemora 74 anos, Pinto da Costa recebeu uma prenda muito especial e foi distinguido na gala Globe Soccer Awards, no Dubai, ao receber o prémio carreira pelo contributo ao longo de 29 anos de presidência do F. C. Porto. O galardão foi entregue por Fabio Capello, treinador italiano e actual seleccionador de Inglaterra.
O F. C. Porto também estava nomeado para o prémio de clube com melhores resultados desportivos e mais proveitos em transferências, mas perdeu o troféu para o Barcelona, campeão europeu e espanhol, numa nomeação na qual também faziam parte os alemães do Borússia Dortmund.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

EMÍDIO PINTO



A última corrida de Emídio Pinto


Emídio Pinto faleceu este sábado, véspera de Natal, aos 79 anos, em Vila Nova de Gaia, vítima de morte súbita. Lenda portista, a história da “velha raposa”, nome pelo qual era conhecido no meio do ciclismo, confunde-se com a própria história da Volta a Portugal. Depois de 11 participações na mais importante prova velocipédica nacional, Emídio Pinto mantinha-se ligado à modalidade na qualidade de director desportivo desde 1964. Foi nessa condição, aliás, que se tornou um nome incontornável no historial de sucesso azul e branco.Emídio Pinto começou no FC Porto como director-desportivo adjunto, ao lado de Franklim Cardoso e de Onofre Tavares. Em 1981, conseguiu o êxito mais retumbante de toda a sua carreira, ao levar o então desconhecido Manuel Zeferino à vitória no “Tour” português.

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

RESULTADOS

ANDEBOL


Mais um teste à barreira dos 50


Quatro dias depois da vitória esmagadora sobre o Belenenses (29-48), o FC Porto Vitalis voltou a fazer a abordagem à meia centena de golos, vencendo, esta noite (quarta-feira), o Xico Andebol por 25-46, em jogo da 17.ª jornada do Andebol 1, disputado em Guimarães, de onde saiu ainda mais líder, cerca de uma hora depois do empate do Águas Santas em Belém (30-30).Os Dragões, que venciam por 11-21 ao intervalo, tiveram em Tiago Rocha e Daymaro Salina os elementos mais produtivos, com os dois portistas a dividirem a condição de melhor marcador da partida, depois de os pivôs português e cubano terem apontado oito golos cada.Os restantes golos dos azuis e brancos foram da autoria de Gilberto Duarte (5), Vasco Santos (1), Ricardo Costa (5), Filipe Mota (3), Pedro Spínola (4), Elias António (3), Sérgio Rola (3), Nenad Malencic (5) e Duarte Carregueiro (1).Com a conjugação dos resultados desta noite, o FC Porto Vitalis, que soma 47 pontos, alargou para dois a vantagem para o Águas Santas, que ocupa a segunda posição.



HOQUEI PATINS



Dragões só sabem vencer

O FC Porto Império Bonança mantém o registo 100 por cento vitorioso na época 2011/12, depois de vencer esta quarta-feira por 10-2, no terreno do Infante de Sagres, em jogo da nona jornada do campeonato nacional. Cumprida na íntegra esta ronda, os Dragões recuperam a liderança que tinham circunstancialmente perdido, por menos de 24 horas.Com três golos, Gonçalo Suíssas foi o melhor marcador da partida que encerrou o ano competitivo dos Dragões. Reinaldo Ventura e Filipe Santos “bisaram”, com Pedro Moreira, Pedro Gil e Filipe Santos a apontarem os restantes tentos. Ao intervalo, os azuis e brancos venciam por 3-1.O FC Porto tem agora 27 pontos, mais dois do que o Benfica, segundo classificado.A equipa orientada por Tó Neves alinhou e marcou: Edo Bosch (g.r.), Pedro Moreira (1), Reinaldo Ventura (2), Pedro Gil (1) e Gonçalo Suíssas (3). Jogaram ainda: e Nélson Filipe (g.r.), Filipe Santos (2), Caio, Nélson Pereira e Tiago Santos (1).

PAÇOS DE FERREIRA vs FC PORTO vidio

PAÇOS DE FERREIRA vs FC PORTO vidio do jogo



video

TAÇA DA LIGA



O "Incrível" entrou para resolver


O FC Porto encerrou 2011, um ano cheio de conquistas, com mais uma vitória. O protagonista não foi surpreendente: o "Incrível" Hulk entrou em campo na segunda parte para "carimbar" uma vitória por 2-1, no terreno do Paços de Ferreira. O triunfo foi para a Taça da Liga, uma competição que pode não ser prioritária, mas em que os azuis e brancos entram naturalmente para triunfar.No estádio do Paços de Ferreira, o apoio das claques azuis e brancas foi constante, mesmo com uma temperatura certamente abaixo dos 10 graus. O primeiro a "aquecer" o encontro, logo aos 90 segundos, foi Cristian Rodríguez. O uruguaio foi inteligentemente desmarcado na esquerda por Kléber e rematou de forma imparável para a baliza de Cássio. O "Cebola" marcava pelo segundo jogo consecutivo e os Dragões partiram para 15 minutos de bom nível.Com Varela posicionado mais sobre o meio, os azuis e brancos conseguiram chegar por várias vezes às imediações da área dos pacenses, controlando a partida. No entanto, o Paços de Ferreira empatou na primeira vez em que fez a bola chegar à área portista. William acorreu a uma defesa incompleta de Bracali e fez o 1-1. Os locais equilibraram então a partida, muito disputada a meio campo. O FC Porto, cum uma frente de ataque muito móvel – Djalma, Varela, Rodríguez e Kléber trocavam frequentemente de posição – terá acusado alguma falta de entrosamento. Mangala, Alex Sandro, Souza ou Rodríguez não têm actuado muitas vezes esta época.Nos últimos 15 minutos da primeira parte, o FC Porto, que nunca deixou de dominar em termos de posse de bola, recuperou alguma acutilância no ataque. Belluschi, aos 33 minutos, disparou para defesa de Cássio e, dez minutos depois, uma triangulação entre Alex Sandro, Kléber e Rodríguez culminou em mais um remate perigoso. O lateral brasileiro, que fez o seu segundo jogo com a camisola azul e branca, destacou-se pelas constantes subidas no seu flanco e pela técnica apurada.Moutinho entrou em campo ao intervalo, recuando Djalma para o posto de lateral-direito. Era uma aposta de ataque a que Cristian Rodríguez quase dava sequência, aos 49 minutos, mas Cássio desviou o remate para canto. Em todo o segundo tempo, apenas Melgarejo, aos 60 minutos – num lance que parece precedido de falta sobre João Moutinho -, colocou em perigo as redes de Bracali.Nesse momento, já Hulk tinha entrado em campo. O brasileiro cumpriu 30 minutos em alta rotação e, aos 69 minutos, criou o lance que haveria de originar o 2-1. Numa arrancada pela direita, ultrapassou um adversário e foi carregado pelo segundo, Fábio Faria. Penálti evidente, que o brasileiro concretizou de forma certeira.Até ao apito final, os Dragões circularam a bola e controlaram o jogo. Aos 80 minutos, Belluschi ainda serviu Hulk para uma nova arrancada, que culminou num remate de pé esquerdo que Cássio desviou para canto. Estavam garantidos os três pontos neste primeiro encontro da fase de grupos. Agora, os portistas têm dois jogos em casa, frente a Vitória de Setúbal e Estoril, para garantir o acesso às meias-finais da Taça da Liga.

FICHA DE JOGO

Paços de Ferreira-FC Porto, 1-2

Taça da Liga 2011/1221 de Dezembro de 2011

Estádio da Mata Real, em Paços de Ferreira

Árbitro: Rui Costa (AF Porto)Assistentes: Nuno Manso e Tomás Santos Quarto árbitro: Hugo Pacheco

PAÇOS DE FERREIRA: Cássio; Diogo Figueiras, Javier Cohene, Fábio Faria e Luisinho; Filipe Anunciação (cap.), André Leão e Vítor; Manuel José, William e Melgarejo

Substituições: Vítor por Bacar (75m), William por Michel Lugo (83m) e Diogo Figueiras por Caetano (86m)

Não utilizados: António Filipe, Josué, Luiz Carlos e Eridson

Treinador: Henrique Calisto

FC PORTO: Bracali; Maicon, Otamendi, Mangala e Alex Sandro; Souza, Belluschi (cap.) e Varela; Djalma, Kléber e Rodríguez

Substituições: Maicon por João Moutinho (46m), Varela por Hulk (58m) e Souza por Fernando (79m)

Não utilizados: Kadú, Iturbe, Tiago Ferreira e Vion

Treinador: Vítor Pereira

Ao intervalo: 1-1

Marcadores: Rodríguez (2m), William (16m) e Hulk (70m, pen.)

Cartões amarelos: Mangala (64m), Fábio Faria (69m) e Luisinho (82m)

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011




FC Porto supera títulos do Barcelona no séc. XXI

A equipa de Pep Guardiola só é superada pelo FC Porto.
Com a conquista do Mundial de clubes no passado domingo, o Barcelona elevou para 18, o número de títulos conquistados desde o início do século. Apesar das recentes conquistas da equipa de Pep Guardiola, o FC Porto, com 24 títulos, supera os catalães em número de títulos.
Desde a época 2001/2002, o FC Porto já arrecadou 24 títulos com a conquista da Liga dos Campeões, Taça UEFA, Liga Europa, Mundial de Clubes, sete campeonatos, sete supertaças Cândido Oliveira e seis Taças de Portugal.
Já o Barcelona somou 18 títulos com a conquista de cinco campeonatos de Espanha, três Ligas dos Campeões, dois Mundiais de Clubes, cinco Supertaças de Espanha, duas Supertaças da Europa e uma Taça do Rei.

DUARTE E COMPANHIA


DUARTE E COMPANHIA



video


Este é o vidio que enche de orgulho todos os lampiões pelos árbitros que tem para os ajudar a ganhar alguma coisa fora do campo já que lá dentro nada ganham

NATAÇÃO



Tetradominadoras


A equipa feminina do FC Porto, que dominou desde o primeiro dia de prova, sagrou-se tetracampeã de clubes, depois de vencer, neste fim-de-semana, o Nacional disputado na Piscina Municipal da Mealhada, onde totalizou 126 pontos e igualou a sequência de quatro títulos consecutivos conseguida entre as épocas de 1988/89 e 1991/92.

As nadadoras azuis e brancas, que deixaram o Sporting a 15 pontos de distância, venceram três das oito provas do programa, com o quarteto composto por Sara Oliveira, Marta Marinho, Alexandra Oliveira e Joana Rodrigues a superiorizar-se na estafeta de 4x200 metros livres, depois das vitórias folgadas de Marta Marinho nos 200 metros costas e de Sara Oliveira nos 100 metros mariposa, que completaram as distâncias com tempos bastantes inferiores aos registados pelas segundas classificadas.

No sector masculino, os Dragões, vice-campeões na época passada, não foram além do quarto lugar, somando 81 pontos e conquistando uma medalha de ouro e três de bronze, com Paulo Santos a vencer os 50 metros livres.

As vitórias portistas no Campeonato Nacional de Clubes:

50 metros livres masculinos Paulo Santos, 22.41 segundos

200 metros costas femininos Marta Marinho, 2:14.17 minutos

100 metros mariposa femininos Sara Oliveira, 58.66 segundos

4x200 metros livres femininos Sara Oliveira, Joana Rodrigues, Alexandra Oliveira e Marta Marinho, 8:15.01 minutos

domingo, 18 de dezembro de 2011



Outra vez na frente


Além de um número considerável de quilómetros, o campeão somou a segunda vitória em três dias, ao vencer este domingo no Barreiro (58-68). O encontro, da 11.ª jornada, foi o quarto de seis consecutivos a jogar fora. Até ao regresso ao Dragão, os azuis e brancos, que voltam a dividir a liderança com o Benfica (perdeu com o Lusitânia), têm ainda de cumprir escalas em Coimbra e Guimarães.Depois de derrotar, menos de 48 horas antes, o CAB Madeira, que não perdia no Funchal há quase dois meses, o FC Porto Ferpinta foi incapaz de disfarçar, frente ao Barreirense, o desgaste provocado pelo cúmulo competitivo e expedicionário, que mantém os Dragões “na estrada”, no cumprimento de um calendário bizarro que quase não proporciona tempo de treino e, muito menos, de repouso.A actuação azul e branca foi, por isso, marcada por oscilações frequentes e alguns “disparates” que só a fadiga explica. A soma de factores, claramente desfavorável perante um adversário que já tinha actuado em casa na véspera, provocou, inclusive, uma ténue desvantagem ao intervalo (32-31), anulada e amplamente revertida com o parcial de 7-27 que sentenciou a partida ao final do terceiro período.Carlos Andrade foi o MVP da partida, somando 11 pontos, 9 ressaltos e 6 assistências, com um registo determinante na fase de recuperação portista que superou o duplo-duplo de Greg Stempin, com 10 pontos e 12 ressaltos.Até ao reencontro com os adeptos, marcado para 28 de Janeiro e com o Lusitânia por adversário, o FC Porto Ferpinta completa os dois meses e dois dias de jogos “on the road” com as deslocações aos terrenos da Académica e do Vitória de Guimarães. Passa, entretanto, o ano a repartir o comando e apresentando o melhor ataque (930) e a melhor defesa (720) da competição.

FICHA DE JOGO

Campeonato da Liga, 11.ª jornada 18 de Dezembro de 2011

Pavilhão Municipal Luís Carvalho, no Barreiro

Árbitro principal: Sérgio SilvaÁrbitros auxiliares: José Abreu e Ricardo Severino

BARREIRENSE (58): José Silva (16), David Jackson (7), Pedro Pinto (4), Miguel Queirós (2) e Anthony Hill (19); João Guerreiro (5), João Fernandes (2), Tiago Raimundo (3)

Treinador: António Herrera

FC PORTO FERPINTA (68): Reggie Jackson (10), Carlos Andrade (11), João Santos (7), Greg Stempin (10) e David Gomes (6); João Soares (5), Nuno Marçal (0), Miguel Miranda (6), Rob Johnson (5), Miguel Maria (0), José Costa (8), Diogo Correia (0)

Treinador: Moncho López

Ao intervalo: 32-31

Por períodos: 12-17, 20-14, 7-27 e 19-10

sábado, 17 de dezembro de 2011

FC PORTO vs MARITIMO



O primeiro é o mais difícil


Difícil, realmente difícil, foi só o primeiro. O segundo golo foi fácil e até meteu o requinte de um toque de calcanhar. Mas, para lá chegar, o campeão foi obrigado a sofrer. E soube fazê-lo, numa nova dinâmica ofensiva que privilegia a velocidade e testa ao limite a fibra de campeão. Marcaram Rodríguez e Otamendi, venceu o FC Porto, por 2-0, que passa o ano na frente. E isso não é para todos.Massacre. Mais um. Agora numa solução extrema, que não reconhece aplicabilidade à adaptação automobilística que transforma o jogo num fluxo de “sentido único”, demasiado curta para traduzir a intensidade e a expressão do domínio portista. A mobilidade do trio atacante foi a primeira razão do desequilíbrio, expresso com rigor matemático ao intervalo, ainda sem golos, mas com números esclarecedores e assustadores: 14 remates e 67 por cento de posse de bola. Aos 45 minutos, o Marítimo fez o primeiro remate. E bem ao lado da baliza de Helton.A primeira ameaça séria foi formulada por Belluschi, aos 11 minutos, numa espécie de frente-a-frente com Peçanha, que conheceria outros duelos. Um deles, mais do que o golo esperado, quase dava anedota, com o argentino, isolado por um erro do guarda-redes, a agradecer e a retribuir, entregando-lhe a bola em mãos, quando projectava passá-lo. Entre a insólita sucessão dos dois lapsos e um terceiro, este já de arbitragem, passaram apenas quatro minutos e uma boa porção de relvado sob o corpo de Belluschi, descaradamente derrubado na área adversária. Só para Duarte Gomes não passou nada.Passava, isso sim, o Marítimo por uma aflição sem trégua, acentuada pela expulsão de Roberge e só interrompida pelo intervalo. Num improviso genial, Hulk brilhou, Belluschi reapareceu, Kléber arriscou, primeiro de calcanhar, depois de cabeça, mas o resultado nem se mexeu. Nada. Sempre Peçanha, a recuperar memórias de um outro massacre e o espectro do russo Malafeev.Apesar da aparição tardia, o anunciado, tantas vezes enunciado, surgiu, por fim, numa altura em que defini-lo como mais do que merecido deixara de ser favor há cerca de uma hora. Marcou Rodríguez, assistido por um drible libertador de Belluschi, aos 80 minutos. Remate em arco, sem defesa. E logo a seguir, aos 83, depois de feito o mais difícil, veio o segundo, saído do calcanhar de Otamendi, selando a vitória que manterá o FC Porto na liderança para lá do Ano Novo. Pelo menos.

FICHA DE JOGO

FC Porto-Marítimo, 2-0 Liga 2011/12, 13.ª jornada 17 de Dezembro de 2011

Estádio do Dragão, no Porto

Assistência: 32.312 espectadores

Árbitro: Duarte Gomes (Lisboa)

Árbitros assistentes: Venâncio Tomé e Pedro Garcia

Quarto árbitro: Pedro Ferreira

FC PORTO: Helton (cap.); Maicon, Rolando, Otamendi e Alvaro; Fernando, João Moutinho e Belluschi; Djalma, Hulk e James

Substituições: James por Kléber (46), Maicon por Rodríguez (57) e Djalma por Iturbe (73)

Não utilizados: Bracali, Mangala, Souza e Alex Sandro

Treinador: Vítor Pereira

MARÍTIMO: Peçanha; Briguel, João Guilherme, Igor Rossi e Luís Olim; João Luiz, Roberge e Benachour; Heldon, Diawara e Sami

Substituições: Heldon por Danilo (63), Sami por Hassan (88) e Benachour por Tchô (90+2)Não utilizados: Salin, João Diogo, Fidélis e Fábio Felício

Treinador: Pedro Martins

Ao intervalo: 0-0

Marcadores: Rodríguez (80), Otamendi (83)

Cartão amarelo: Fernando (37), Heldon (38), Roberge (40 e 41), Iturbe (86)

Cartão vermelho: Roberge (41)

SUB 19 (JUNIORES)



Sub 19: FC Porto goleia Leixões

O FC Porto foi este sábado vencer o Leixões a Matosinhos por 4-0, em jogo da 17.ª jornada da primeira fase do campeonato nacional de Juniores.A vitória gorda do FC Porto começou a desenhar-se com um bis de Vion, aos 30 e 36 minutos. A goleada foi confirmada na segunda parte, primeiro com um golo de Alves (57m) e depois através de um auto-golo de Pedro Rodrigues (77m).Com esta vitória o FC Porto continua invicto na liderança, com 13 pontos de avanço sobre o segundo classificado, o Sporting de Braga.O FC Porto recebe na quarta-feira, às 15 horas, o Boavista.

ANDEBOL




Campeonato, 16ª J.: FC Porto-Belenenses 48-29


Este FC Porto é impressionante...mesmo com a ausência por lesão de jogadores importantes, os Dragões deram um autêntico festival de bom andebol, goleando o Belenenses por uns esclarecedores ! O FC Porto ainda defronta o Xico Andebol antes do Natal e uma vitória permitirá à nossa equipa salvaguardar a liderança. Destaque para o regresso ao FC Porto do ponta esquerda angolano Elias Nogueira.

RESULTADOS DE MODALIDADES - hoquei patins



HOQUEI PATINS


O FC Porto voltou a vencer na Liga Europeia, desta feita no pavilhão do Genève, por uns esclarecedores 12-5. Ao intervalo, no entanto, o resultado era de apenas 4-2 para os Dragões.

Pelo FC Porto marcaram: Filipe Santos (1), Pedro Moreira (1), Pedro Gil (3), Reinaldo Ventura (2), Gonçalo Suíssas (2) e Caio (3). Tó Neves fez alinhar a seguinte equipa: Edo Bosh (gr), Pedro Moreira (1), Reinaldo Ventura (2), Caio (3) e Pedro Gil (3). Jogaram ainda: Filipe Santos (1), Gonçalo Suissas (2), Nélson Pereira e Tiago Santos.



BASQUETEBOL



Stempin e Johnson foram decisivos no Funchal


O FC Porto Ferpinta venceu, na noite desta sexta-feira, o CAB Madeira, por 80-89, em jogo da 10.ª jornada da Liga, disputado no Funchal. Greg Stempin e Rob Johnson distinguiram-se como as principais figura dos azuis e brancos e também do encontro, permitindo aos Dragões somar a nona vitória da fase regular, com o primeiro dos norte-americanos a distinguir-se como o MVP da partida.A equipa de Moncho López, que atingiu o intervalo já em vantagem (36-41), dominou ao longo de praticamente todo o encontro, resistindo, inclusive, à inspiração triplista do adversário, que converteu 12 dos 24 lançamentos exteriores tentados, e dominando na proximidade das tabelas, onde conquistou mais 11 ressaltos do que o opositor (37 contra 26) e revelou uma eficácia de lançamento superior (65% contra 45%).Greg Stempin, com 24 pontos e 7 ressaltos, e Rob Johnson, com um duplo-duplo de 18 pontos e 12 ressaltos, foram absolutamente decisivos na vitória de uma equipa em que Nuno Marçal (13) e João Santos (10) também atingiram ou ultrapassaram a dezena de pontos.

FICHA DE JOGO

Liga, 10.ª jornada 16 de Dezembro de 2011

Pavilhão do CAB, no Funchal

Árbitro principal: Pedro CoelhoÁrbitros auxiliares: Fernando Rezende e Rui Ribeiro

CAB MADEIRA (80): Mário Fernades (8), Barry Shetzer (3), Jarvis Gunter (6), Shawn Jackson (14) e Jorge Coelho (12); Jaime Silva (31), Austin Kenon (6), Fábio Lima (0), Bruno Cavalcante (0)

Treinador: João Freitas

FC PORTO FERPINTA (89): Reggie Jackson (6), Carlos Andrade (5), João Santos (10), Greg Stempin (24) e Rob Johnson (18); Diogo Correia (2), Miguel Miranda (5), David Gomes (0), José Costa (6), Nuno Marçal (13)

Treinador: Moncho López

Ao intervalo: 36-41

Por períodos: 13-16, 23-25, 23-29 e 21-19

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

FALECEU LOURENÇO



JOGADOR ROMENO DO ANO




Sapunaru foi eleito o jogador romeno do ano

O lateral do FC Porto, Cristian Sapunaru, foi eleito o jogador romeno do ano de 2011, depois de ter conquistado a Liga Europa, o Campeonato Nacional, a Taça de Portugal e a Supertaça ao serviço dos dragões na época passada.
O atleta foi distinguido na 15ª Gala do Futebol romeno, que é organizada em conjunto pela Associação de treinadores, jornalistas e Federação romena.
Nota ainda para o facto do central Marcos Antonio, do Rapid Bucuresti, e que em Portugal representou a Académica, o Gil Vicente, a União de Leiria e, mais recentemente, o Belenenses, depois de ter pertencido aos quadros do FC Porto, ter sido eleito o melhor estrangeiro a actuar na Roménia

TAÇA INTERCONTINENTAL

Conquista da 1.ª Intercontinental foi há 24 anos
A vitória do FC Porto sobre os uruguaios do Peñarol, na Taça Intercontinental, por 2-1, faz esta terça-feira 24 anos. Os golos dos dragões foram apontados por Fernando Gomes e pelo argelino Rabah Madjer, neste caso já no prolongamento.


video

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

ANDEBOL CAMP. NACIONAL







"Bombardeiro" Gilberto no regresso à liderança



O FC Porto Vitalis venceu esta quarta-feira o São Bernardo por 32-22, assegurando o regresso à liderança isolada do Andebol 1. Gilberto Duarte foi a estrela maior deste encontro em atraso da 14.ª jornada, ao apontar 11 golos. O treinador Ljubomir Obradovic aproveitou o encontro para dar tempo de jogo a jovens como João Ramos, Sérgio Rola e Hugo Santos.Hugo Santos e Sérgio Rola surgiram inclusivamente no ‘sete’ inicial, nas pontas, enquanto Quintana foi dono da baliza a tempo inteiro. Gilberto Duarte abriu o marcador, aos dois minutos e meio, e os Dragões só perderam a vantagem, em todo o encontro, no momento seguinte (1-2). Aos 10 minutos, o FC Porto vencia apenas por 5-3, mas obteve depois um parcial de 5-0, gerindo a partir daí uma vantagem confortável.Face a um adversário com poucas soluções na primeira linha e a apostar nos remates na zona dos seis metros, os azuis e brancos optaram por preencher bem esse espaço e explorar o contra-ataque. Os Dragões tiraram ainda partido de várias falhas técnicas do São Bernardo. Ao intervalo, venciam por 14-9.Os aveirenses nunca deixaram de dar luta, mas quebraram a partir dos 10 minutos do segundo tempo, momento em que João Ramos fez o 21-15. A vantagem portista alargou-se depois até à margem final de 10 tentos. Para além de Gilberto Duarte, destaque para as contribuições ofensivas de Tiago Rocha (5 golos) e Nenad Malencic (4). Wilson Davyes não jogou, devido a lesão contraída no treino de terça-feira.No final, Obradovic analisou o encontro: “O nosso objectivo neste tipo de jogos é testar a equipa. Tínhamos de entrar concentrados e foi isso que fizemos. Em termos defensivos estou agradado, mas temos aspectos a trabalhar no ataque e o contra-ataque não saiu como eu queria

”.FICHA DE JOGO

FC Porto Vitalis-São Bernardo, 32-22 Andebol 1, primeira fase, 14.ª jornada 7 de Dezembro de 2011

Dragão Caixa, no Porto

Assistência: 420 espectadores

Árbitros: João Basto e Júlio Cardoso

FC PORTO VITALIS: Alfredo Quintana (g.r.); Joao Ramos (2), Gilberto Duarte (11), Vasco Santos, Ricardo Costa, Filipe Mota (2), Pedro Spinola (2), Daymaro Salina (2), Tiago Rocha (5), Sergio Rola (3), Hugo Santos (1), Nenad Malencic (4) e Duarte Carregueiro

Treinador: Ljubomir Obradovic

SÂO BERNARDO: João Pinho e Fábio Magalhães (g.r.); Tiago Teixeira, João Vilar (5), Augusto Pereira (3), Tiago Goncalves (1), Fábio Ribeiro (5), Ricardo Oliveira, Bernardo Goncalves, Fernando Vilar, Tiago Sousa (2), Hugo Silva (2) e Gonçalo Carvalho (4)

Treinador: Juan Marques

Ao intervalo: 14-9

Disciplina: cartão vermelho a Daymaro Salina (35m)

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

BASQUETEBOL



"Um pequeno erro pode ser fatal"


O acesso à Final a 8 da Taça de Portugal joga-se esta quinta-feira, em Ílhavo, a partir das 16h00, onde o Illiabum, segundo classificado da Proliga, merece a concentração absoluta de João Santos. Só depois de encerrado o jogo dos "oitavos", no Pavilhão Capitão Adriano Nordeste, a deslocação à Luz merecerá a atenção do extremo portista.Concentrados num objectivo"Vencer a Taça é um dos nossos objectivos da época e razão para nos mantermos concentrados ao longo dos 40 minutos, até porque temos consciência de que será um jogo difícil."Compenetração absoluta"O único jogo que, neste momento, exige absoluta compenetração da nossa parte é este, da Taça de Portugal. Só depois dele pensaremos no de domingo, na Luz."Responsabilidade acrescida"A Taça de Portugal é uma competição especial, mas com uma responsabilidade acrescida, porque o mais pequeno erro pode ser fatal e ditar o fim da linha."Ritmo para manter"Já revelamos uma grande intensidade de jogo, que só beneficia o estilo implantado pelo treinador e assimilado pelos jogadores. Queremos manter este ritmo e atingir assim os nossos objectivos."

QUANDO AGARRAVA LUGAR NA EQUIPA..



Defour lesionou-se no confronto com o Zenit, não participou no treino desta manhã e vai estar longe dos relvados durante as próximas três semanas.A notícia foi dada por Paul Stefani, empresário do jogador, através do jornal belga La Dernière Heure.«Ele estará indisponível durante três semanas por causa de uma rotura no joelho», informou o empresário do internacional belga.À partida, Defour não joga mais pelo FC Porto este ano e o regresso aos relvados deverá acontecer em Janeiro.

FC PORTO vs ZENIT 0-0




Sorte de cão


A Champions terminou, mas a aventura europeia prossegue. No apuramento de méritos e responsabilidades, sobressai a figura de Malafeev, o guarda-redes russo que manteve o Zenit miraculosamente na prova, reconduzindo o FC Porto para a Liga Europa, numa noite em que um simples golo daria ao campeão português ainda mais do que o apuramento. Daria o primeiro lugar do grupo.Os cinco minutos iniciais, de um equilíbrio aparente apenas sustentado por um ensaio de pressão russa, não forneceram muito mais do que uma mera ilusão que o Zenit não podia cumprir. Com os Dragões a definirem o ritmo e o curso do jogo, a estratégia de Spalletti depressa ficou confinada a um básico plano de contra-ataque incapaz de produzir um remate à baliza em todo o encontro. Nem um para amostra.O jogo, que assumiria progressivamente uma configuração aproximada ao género “sentido único”, pausado apenas pelo coro de assobios gerado a cada vez que a equipa russa preferia os pés de Danny para arriscar a transição, definia-se num único extremo do relvado, onde o guarda-redes Malafeev coleccionava intervenções decisivas; a mais destacada de todas, logo ao sexto minuto, num frente-a-frente com Djalma, isolado por um passe perfeito de João Moutinho.A ameaça de golo, formulad a com insistência, voltou a ganhar forma em três tentativas de Hulk e outra de James, sem que nenhuma delas produzisse o efeito desejado. Todas esbarraram ou acabaram nas luvas de Malafeev, o único capaz de resistir à avalanche portista, que já então justificava o balançar das redes. Nessa altura, já o afortunado imitador de cães se transformara, por livre e espontânea vontade (ou, quem sabe, por instinto), num mero defesa, que recuperava representações caninas na forma frequente com que cheirava a bola e corria atrás dos calcanhares do adversário.Além de Kléber, a vincar a propensão atacante dos Dragões, a segunda parte trouxe mais do mesmo, acrescida de uma versão “massacre”, que encostava os russos às cordas e anunciava o KO, repetidamente adiado pelo intérprete do costume, que levantava incessantemente o Zenit do tapete nos instantes mais inesperados. Com as mãos, com os pés, tombado até para o lado errado, Malafeev segurou a equipa russa, como que presa por arames, e qualificou-a, pela primeira vez, para os oitavos-de-final da Champions.À exibição portista ficou a faltar apenas o golo, que, mais do que a qualificação, lhe dava o primeiro lugar do Grupo G, na conjugação de um resultado que falhou por pouco com a derrota do APOEL fr ente ao Shakhtar. A sorte, ou a falta dela, reencaminhou o campeão português para a UEFA Europa League, competição que venceu há pouco mais de meio ano. Pode não ter sido por acaso…


FICHA DE JOGOUEFA Champions League, Grupo G, 6.ª jornada 6 de Dezembro de 2011


Estádio do Dragão, no Porto


Assistência: 46.512 espectadores


Árbitro: Carlos Velasco Carballo (Espanha)


Árbitros assistentes: Roberto Fernández e Juan Carlos JiménezQuarto árbitro: Eduardo González


Árbitros assistentes adicionais: Fernando Vitienes e Javier Fernandez


FC PORTO: Helton (cap.); Maicon, Rolando, Otamendi e Alvaro; Fernando, Defour e João Moutinho; Djalma, Hulk e James


Substituições: Defour por Kléber (46m), Djalma por Varela (68m) e Otamendi por Belluschi (81m)


Não utilizados: Bracali, Fucile, Mangala e Souza


Treinador: Vítor Pereira


ZENIT: Malafeev; Anyukov (cap.), Hubocan, Lombaerts e Criscito; Denisov, Semak e Shirokov; Fayzulin, Lazovic e Danny


Substituições: Shirokov por Zyryanov (46m), Fayzulin por Bystrov (57m) e Lazovic por Bruno Alves (81m)


Não utilizados: Zhevnov, Bukharov, Rosina e Lukovic


Treinador: Luciano Spalletti


Disciplina: cartão amarelo a Anyukov (28m), Helton (38m), Fayzulin (40m), Otamendi (48m), Hulk (71m), Malafeev (76m)

domingo, 4 de dezembro de 2011

FORMAÇÃO



Juniores A:

Alves garante vitória em Barcelos


Um golo do médio Alves foi o suficiente para o FC Porto bater o Gil Vicente, em Barcelos, em jogo a contar par a 15.ª jornada da primeira fase do campeonato nacional de juniores A. Com esta vitória, o FC Porto mantém a liderança, com confortáveis dez pontos de vantagem sobre o segundo classificado, o Sporting de Braga.O jogo em Barcelos não se previa fácil, mas os jovens Dragões cedo se adiantaram no marcador, dominaram no resto do tempo e mantiveram a bola longe da baliza de Eloi.O FC Porto, que ainda está invicto, mantém a liderança, agora com dez pontos de avanço sobre o Braga, precisamente o adversário na próxima jornada, no Olival, jogo marcado para sábado, às 15 h

BASQUETEBOL



FC Porto vence em Guimarães e volta a igualar o Benfica


O FC Porto venceu este domingo em Guimarães, por 78-51, voltando a colar-se ao Benfica no topo do campeonato da Liga de basquetebol, cumprida que está a oitava jornada da competição.Os azuis-e-brancos colocaram-se em vantagem no final do primeiro período e não mais largaram a frente do marcador, fazendo a diferença sobretudo no lançamento de três pontos.Com a vitória, o FC Porto mantém a invencibilidade e volta a colocar-se no topo da classificação, em igualdade pontual com o Benfica.
Resultados:

Sábado:Ginásio - Barreirense, 55-79

Benfica - Ovarense, 70-68

Sampaense - CAB Madeira, 75-98

TerceiraBasket - Barcelos, 69 - 76

Lusitânia - Académica, 69 - 64

Domingo:

Vitória de Guimarães - FC Porto, 51-78

Classificação:

1. FC Porto 8 /161. Benfica 8 / 163. Barreirense 8 / 144. CAB Madeira 8 / 135. Ovarense 7 /126. Lusitânia 8 /127. Barcelos 8 /118. Sampaense 8 /109. Académica 8 /1010. Vitória Guimarães 8 /1011. TerceiraBasket 7 /912. Ginásio 8 /8

NATAÇÃO DO FC PORTO



Domínio absoluto certificado por 25 medalhas


A soma impressionante de catorze medalhas de ouro, cinco de prata e seis de bronze fez do FC Porto o dominador incondicional do Campeonato Nacional de Absolutos, que decorreu neste fim-de-semana, em Silves, onde a formação azul e branca se distinguiu também como a equipa mais medalhada da competição.Entre os Dragões, estiveram em especial plano de evidência as nadadoras Marta Marinho e Sara Oliveira, que confirmaram, respectivamente, a conquista de oito e seis títulos nacionais, num registo invulgar que lhes garantiu as duas primeiras posições no ranking dos mais medalhados.Os resultados obtidos em Silves geram excelentes expectativas para o Campeonato Nacional de Clubes, o ponto alto da época, que decorrerá no fim-de-semana de 17 e 18 de Dezembro.



sábado, 3 de dezembro de 2011

ANDEBOL



Taça EHF, 3ª Eliminatória

FC Porto-Estrela Vermelha 31-21

O FC Porto entrou no jogo firmemente decidido em anular a desvantagem que trazia do 1º jogo, e é complicado imaginar um início melhor, já que estivemos em vantagem por 12-4. Os Sérvios reagiram e chegaram ao intervalo a perder por 3 golos (12-15). Ao intervalo, portanto, a eliminatória estava empatada. Na 2ª parte os Dragões voltaram novamente mais fortes, cavando um fosso que desta vez o adversário não soube contrariar. Uma prestigiante vitória, perante 1230 espectadores que estiveram sempre a apoiar a equipa.

Os Dragões qualificaram-se para os 1/8 de final da Taça EHF.

PEDRO GIL


video


ESTE GESTO DO PEDRO GIL DURANTE OS FESTEJOS DO GOLO MARCADO AO LICEO DA CORUNHA, TEM NECESSARIAMENTE DE SER ESCLARECIDO, OU PELO JOGADOR OU PELOS RESPONSÁVEIS DO HÓQUEI PORTISTA, PARA QUE NÃO FIQUEM DUVIDAS SE OS JOGADORES TEM OU NÃO SALÁRIOS EM ATRASO.

HOQUEI PATINS

Campeonato, 7ª JORNADA

Valongo-FC Porto 1-8
O FC Porto entrou muito forte, adiantando-se no marcador por intermédio de Reinaldo Ventura (7' e 9'). Gonçalo Suíssas bisou, levando os Dragões para o intervalo com 4 golos de vantagem. Nuno Rodrigues fez o golo de honra da equipa da casa aos 4 minutos do 2º tempo, mas o FC Porto não permitiu mais reacção do que isto, trocando muito bem a bola. Naturalmente surgiram mais golos portistas, tanto por Filipe Santos, como por Reinaldo Ventura, que completou o seu hat-trick e ainda Pedro Gil, que bisou.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

BASQUETEBOL


FC do Porto vs Luisitania dos Açores 105 - 60 7ª vitória consecutiva do Basquetebol do FCP.

JULIO MAGALHÃES


Sou favoravel a vinda do JULIO MAGALHÃES para o PORTO CANAL mas por amor de Deus Julio não tragas o emplastro.

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

ANDEBOL - TAÇA EHF FC Porto perde em Belgrado

DRAGÕES PERDEM (28-25) EM BELGRADOO FC Porto Vitalis perdeu, este domingo, na Sérvia, frente ao Estrela Vermelha, por 28-25, em jogo da primeira mão da terceira eliminatória da Taça EHF, que os Dragões tiveram controlado até aos últimos minutos, antes de três momentos de alguma infelicidade terem ditado a reviravolta no encontro disputado no Sumice Sports Center, em Belgrado.

Os azuis e brancos, que atingiram o intervalo em vantagem (12-14), tiveram no lateral-direito Pedro Spínola o melhor marcador, com sete remates certeiros. Os restantes golos do tricampeão português foram apontados por Gilberto Duarte (2), Ricardo Costa (1), Filipe Mota (4), Daymaro Salina (2), Tiago Rocha (6), Wilson Davyes (2) e Nenad Malencic (1).

O encontro da segunda mão, que qualifica o vencedor da eliminatória para os oitavos-de-final da Taça EHF, joga-se às 17h00 do próximo sábado, no Dragão Caixa.

FC Porto 50 jogos sem perder

FC Porto "arredondou" para 50 o número de jogos consecutivos sem perder na Liga, com o triunfo (3-2), na receção ao Sporting de Braga, na 11.ª jornada.

Um "bis" do brasileiro Hulk, aos 37 e 78 minutos, além de uma assistência do mesmo para o compatriota Kléber, aos 82, foram contrariados por outro "bis" brasileiro, por parte de Lima, que cobrou uma grande penalidade aos 89 e voltou a marcar aos 92.
Na última meia centena de encontros a contar para a principal prova do calendário português, os "dragões" apresentaram um notável balanço de 43 vitórias e 7 empates.
O "longínquo" dia 28 de fevereiro de 2010, faz hoje 639 dias, marca o último desaire dos "dragões" no campeonato, mais precisamente em Alvalade, onde perderam por 3-0, com o Sporting, na 21.ª jornada de 2009/2010.
Yannick Djaló, em trânsito para o Nice, o russo Izmailov, lesionado, e Miguel Veloso, agora no Génova, selaram, com golos aos seis, 45 e 47 minutos, respetivamente, o desaire do onze ainda comandado por Jesualdo Ferreira.
Depois desse encontro, o FC Porto construiu numa série de 50 consecutivos sem perder, curiosamente, com começo num empate com o Olhanense, no Estádio do Dragão (2-2, a 06 de março de 2010) até ao êxito de hoje, novamente no recinto "azul e branco".
Após o primeiro empate com os algarvios, o FC Porto venceu os oito encontros seguintes, incluindo um 3-1 caseiro ao Benfica, que impediu os "encarnados" de selar o título em pleno Dragão -- viriam a conquistá-lo na Luz (2-1 ao Rio Ave).
Os "dragões" fecharam, assim, a época 2009/2010 em "grande" e, já com André Villas-Boas no lugar de Jesualdo Ferreira, cumpriram um memorável trajeto no "nacional" 2010/2011, que concluíram sem um único desaire.
Um empate em Guimarães (1-1), um segundo em Alvalade (1-1) e um terceiro na receção ao Paços de Ferreira (3-3) juntaram-se a 27 vitórias e permitiram ao FC Porto igualar o feito do Benfica, de Jimmy Hagan, que se sagrara campeão invicto em 1972/73, então com 28 triunfos e apenas dois empates.
Entre os triunfos, destaque para os dois conseguidos face ao então campeão Benfica: 5-0 no Dragão, a maior vitória de sempre sobre o "rival" no campeonato, e 2-1 na Luz, que permitiu selar o título em plena casa dos "encarnados".
Depois de uma época de fábula, também com as conquistas da Liga Europa, Taça de Portugal e Supertaça, André Villas-Boas rumou ao Chelsea e o seu adjunto Vítor Pereira foi o escolhido para sucessor e tem mantido o registo intocável.
O FC Porto já ostenta as mesmas quatro derrotas do que em toda a época 2010/2011, mas estas aconteceram na Liga dos Campeões (Zenit e APOEL), Supertaça Europeia (FC Barcelona) e Taça de Portugal (Académica).
No campeonato, e após 11 jornadas, os "dragões" ainda não perderam, tendo já cedido, porém, os três empates da temporada transata, ao falharem os triunfos face a Feirense (0-0 em Aveiro), Benfica (2-2 no Dragão) e Olhanense (0-0).
50 jogos sem perder:

ɐpoca 2009/2010 (Jesualdo Ferreira)
21 28/02 Sporting (F) D 0-3
-------------------------------------------------------
22 06/03 Olhanense (C) E 2-2
23 13/03 Académica (F) V 2-1
24 28/03 Belenenses (F) V 3-0
25 03/04 Marítimo (C) V 4-1
26 10/04 Rio Ave (F) V 1-0
27 18/04 Vitória de Guimarães (C) V 3-0
28 24/04 Vitória de Setúbal (F) V 5-2
29 02/05 Benfica (C) V 3-1
30 08/05 União de Leiria (F) V 4-1

Época 2010/2011 (André Villas-Boas)
01 14/08 Naval 1.º de Maio (F) V 1-0
02 22/08 Beira-Mar (C) V 3-0
03 29/08 Rio Ave (F) V 2-0
04 11/09 Sporting Braga (C) V 3-2
05 20/09 Nacional (F) V 2-0
06 25/09 Olhanense (C) V 2-0
07 04/10 Vitória Guimarães (F) E 1-1
08 25/10 União Leiria (C) V 5-1
09 30/10 Académica (F) V 1-0
10 07/11 Benfica (C) V 5-0
11 14/11 Portimonense (C) V 2-0
12 27/11 Sporting (F) E 1-1
13 06/12 Vitória Setúbal (C) V 1-0
14 19/12 Paços Ferreira (F) V 3-0
15 08/01 Marítimo (C) V 4-1
16 16/01 Naval 1.º de Maio (C) V 3-1
17 22/01 Beira-Mar (F) V 1-0
20 26/01 Nacional (C) V 3-0
18 06/02 Rio Ave (C) V 1-0
19 13/02 Sporting Braga (F) V 2-0
21 26/02 Olhanense (F) V 3-0
22 05/03 Vitória Guimarães (C) V 2-0
23 14/03 União Leiria (F) V 2-0
24 20/03 Académica (C) V 3-1
25 03/04 Benfica (F) V 2-1
26 10/04 Portimonense (F) V 3-2
27 27/04 Sporting (C) V 3-2
28 01/05 Vitória de Setúbal (F) V 4-0
29 08/05 Paços de Ferreira (C) E 3-3
30 14/05 Marítimo (F) V 2-0

ɐpoca 2011/2012 (Vítor Pereira)
01 14/08 Vitória de Guimarães (F) V 1-0
02 19/08 Gil Vicente (C) V 3-1
03 06/09 União de Leiria (F) V 5-2
04 09/09 Vitória de Setúbal (C) V 3-0
05 18/09 Feirense (F) E 0-0
06 23/09 Benfica (C) E 2-2
07 02/10 Académica (F) V 3-0
08 23/10 Nacional (C) V 5-0

O que disse Vitor Pereira no final do jogo FC Porto vs Braga



Fomos equipa


"Desde que suprimidos os últimos cinco minutos da vitória sobre o Braga, este é o FC Porto que Vítor Pereira quer construir. Ao projecto que desenvolve, o treinador apontou "solidariedade", "confiança" e a capacidade de ser equipa, argumentos que lhe agradam e com os quais planeia fazer muito mais. Mas "sem traçar metas", disse, na noite em que o campeão somou o 50.º jogo sem perder na Liga.Exceptuando os últimos cinco minutos..."Fizemos um bom jogo quase até ao fim. Só não gostei dos últimos cinco minutos. Apesar de termos feito um jogo desgastante a meio da semana e com uma viagem que durou toda a noite, fomos equipa, fomos solidários e jogámos como quero que esta equipa jogue."Onze repetido"Repeti o onze, porque o onze na Ucrânia fez um bom jogo em condições extremamente difíceis e hoje conseguiu um belíssimo jogo. Exceptuando, repito, os últimos minutos, em que se deslumbrou e foi à procura do quarto golo e se desequilibrou.

"Confiança"Os resultados trazem confiança, cumplicidade e eu quero ver um Porto solidário, de entreajuda e de espírito de equipa. Isso agrada-me. Sinto este Porto mais próximo daquilo que pretendemos.

"Golos e produção de Hulk"Fiquei satisfeito com o Hulk. Não só com os golos que marcou, mas também com a produção e com aquilo que deu à equipa."



HULK o melhor em campo FC Porto vs Braga




Uma vitória com cabeça e coração


O FC Porto bateu o SC Braga por 3-2, num jogo em que Hulk, com dois golos e uma assistência, voltou a ser incrível. O brasileiro fez o 1-0 de cabeça, ainda na primeira parte, e depois a equipa teve alma e inteligência para interpretar os diferentes momentos do encontro e “matá-lo” nos minutos finais.

Os Dragões continuam na liderança da Liga e estão há 50 jogos sem perder na prova.

A primeira parte foi totalmente dominada pelo FC Porto, que imprimiu um grande ritmo à partida. A qualidade do jogo ofensivo dos Dragões foi subindo com o passar do tempo, mas apenas aos 25 minutos o guarda-redes Quim foi forçado a uma defesa, após remate do Hulk. Na etapa inaugural, os bracarenses apenas assustaram Helton por uma vez.

O golo haveria de surgir aos 37 minutos: Defour teve uma grande arrancada e serviu James, que cruzou de pé esquerdo para cabeça de Hulk. Quim ficou a meio do caminho e o SC Braga passou a ser a segunda melhor defesa do campeonato fora do seu estádio, atrás do FC Porto, que tem apenas dois golos sofridos. Até ao descanso, houve várias jogadas entusiasmantes dos azuis e brancos, como um rodopio e remate de Hulk, aos 42 minutos, que quase dava o 2-0.Nos primeiros 20 minutos da s egunda parte, a toada do encontro foi a mesma, com amplo domínio portista. Aos 66, Alvaro cruzou da esquerda para a cabeça de James, obrigando Quim a uma grande defesa. Seguiu-se uma reacção do SC Braga, que, ainda assim, só aos 72 minutos criou perigo, num remate de Alan desviado por Helton.O FC Porto soube resguardar-se no melhor momento do adversário e matar o encontro aos 78 minutos: João Moutinho e Hulk fizeram uma tabelinha, que culminou num remate fulminante do “Incrível”, à entrada da área. Sem conseguir responder ao coração e à qualidade técnica dos portistas, os bracarenses abriram brechas na sua defensiva que permitiram aos Dragões criar sucessivas oportunidades de golo, incluindo um tento anulado a Hulk por fora de jogo duvidoso. Mas o 3-0 chegaria pelo pé de outro suplente, Kléber, servido por Hulk, em mais uma arrancada imparável. Os dois brasileiros somam agora seis golos na Liga, sendo os melhores marcadores dos azuis e brancos.Nos minutos finais, Lima marcou por duas vezes, reduzindo a desvantagem bracarense e tornando o resultado algo enganador, dado que os forasteiros se aventuraram poucas vezes no ataque. No entanto, fica o grito entoada nas bancadas: “o campeão vol tou”. E esta é claramente uma equipa em crescendo, capaz de dar ainda muitas alegrias aos adeptos.

FICHA DE JOGO

Porto-SC Braga, 3-2

Liga Portuguesa 2011/12,

11.ª jornada 27 de Novembro de 2011

Estádio do Dragão, no Porto

Árbitro: Artur Soares Dias (Porto)

Assistentes: Rui Licínio e João Silva Quarto árbitro: Cosme Machado

FC PORTO: Helton «cap»; Maicon, Rolando, Otamendi e Alvaro; Fernando, João Moutinho e Defour; Djalma, Hulk e James

Substituições: Djalma por Rodríguez (64m), Defour por Souza (64m) e James por Kléber (80m)

Não utilizados: Bracali, Belluschi, Fucile e VarelaTreinador: Vítor Pereira

SC BRAGA: Quim; Salino, Douglão, Ewerton e Paulo Vinícius; Djamal, Hugo Viana e Fran Mérida; Alan, Lima e Paulo César

Substituições: Fran Mérida por Mossoró (60m), Paulo César por Hélder Barbosa (70m) e Djamal por Nuno Gomes (76m)

Não utilizados: Berni, Rodrigo Galo, Vinicius e RiveraTreinador: Leonardo Jardim

Ao intervalo: 1-0

Marcadores: Hulk (37m e 78m), Kléber (82m) e Lima (88m, g.p. e 90m+2)Disciplina: cartão amarelo a Alvaro (11m), Maicon (55m), Salino (73m) e Hulk (88m)

sábado, 26 de novembro de 2011

FORMAÇÃO



Juniores A batem Rio Ave

O FC Porto recebeu e venceu este sábado o Rio Ave por 3-1, em jogo a contar para a 13.ª jornada do campeonato nacional de Juniores A, resultado que mantém os Dragões confortáveis na primeira posição.Ao intervalo os jovens Dragões já venciam por 2-0, fruto dos golos de Alves (10m) e Vion (21m). Na segunda parte Ebo fez o terceiro golo do FC Porto.Nem tudo foram rosas para os Dragõezinhos, que acabaram o jogo reduzidos a nove elementos, consequência das expulsões de Tiago Ferreira (59m) e Mikel (85m).O FC Porto mantém a liderança confortável da primeira fase do campeonato nacional, totalizando 33 pontos, em 39 possíveis, mais dez do que o segundo classificado, que é o Sporting de Braga.Na próxima jornada, marcada para o feriado de 1 de Dezembro, o FC Porto recebe o Nacional da Madeira.

Juniores B venceram no Candal

A equipa Sub17 do FC Porto venceu este sábado no terreno do Candal, por 2-0, em encontro da 14.ª jornada da 1.ª fase do Nacional de Juniores B. Um golo madrugador de Belinha (3m) e outro de Ivo (57m) permitiram aos Dragões somar mais três pontos.A formação orientada por Nuno Capucho mantém-se isolada na liderança da série B do campeonato nacional, com 40 pontos e mais dois jogos do que o Boavista, que tem 34.O FC Porto alinhou com José Carlos, Marcelo, André Ribeiro (José Pedro, 68m), Tomás Podstawski «cap.», Luís Rafael, Francisco Ramos, Ivo (Pedro Santos, 71m), Belinha, André Silva, Graça e Francisco Costa (Nuno Santos, 54m).

HOQUEI PATINS



Dragões chegaram à dúzia

O FC Porto Império Bonança goleou este sábado o Porto Santo, por 12-7, e mantém-se na liderança do campeonato nacional de hóquei em patins, só com vitórias. Quatro golos em quatro minutos, no arranque do segundo tempo, resolveram a questão do vencedor, num encontro em que Reinaldo Ventura e Gonçalo Suíssas conseguiram “hat-tricks”.Os Dragões chegaram ao 2-0 com naturalidade, através de dois golos de Gonçalo Suíssas: o primeiro foi um desvio a um remate de Reinaldo Ventura, o segundo surgiu na sequência de um passe de Caio. No entanto, logo aos nove minutos, o Porto Santo, até aí quase inexistente no ataque, marcou, através de um penálti convertido por Javier Oliva.A meio da primeira parte, Tó Neves trocou toda a equipa, excepto o guarda-redes Nélson Filipe. Nelson Pereira e Gonçalo Suíssas, que costumam arrancar no banco, fizeram parte do cinco inicial, numa lógica de rotatividade. Recorde-se que o FC Porto jogou no passado sábado frente ao Liceo da Corunha (7-4), para a Liga Europeia, e na quarta-feira, em Barcelos (5-3), em encontro do campeonato nacional.Aos 13 minutos, Paulo Monteiro empatou, depois de Pedro Moreira escorregar e perder a bola em zona proibida. O Porto Santo fechava-se cada vez mais na sua defesa e as intervenções do guardião Pedro Santiago foram mantendo um empate improvável. Aos 22 minutos, Pedro Moreira fez o 3-2, num lance em que recuperou a bola, ultrapassou um adversário e finalizou com tranquilidade. Este golo espoletou um final de primeira parte frenético.Aos 23 minutos, Paulo Monteiro restabeleceu o empate, num contra-ataque precedido de uma falta assinalada erradamente a favor do Porto Santo. De seguida, os madeirenses fizeram mesmo o 3-4, num livre directo de Ricardo Antunes, a castigar a décima falta dos portistas. A equipa da casa terminou o encontro com 17 faltas (contra 12 do Porto Santo), algumas delas seguindo um critério bastante discutível.A 18 segundos do intervalo, Tiago Santos ainda fez o empate (4-4), assistido por Pedro Moreira. O rescaldo deste primeiro tempo mostrava um Porto Santo muito eficaz, que apenas precisou de 20 remates para fazer quatro golos, enquanto que os azuis e brancos tinham rematado 54 vezes.Na etapa complementar, o FC Porto entrou decidido a resolver um encontro que tinha obrigação de ganhar, elevando o ritmo da partida. Logo no primeiro minuto, Reinaldo Ventura fez o 5-4, com um remate colocadíssimo. No minuto 29, os Dragões fizeram três golos (dois deles verdadeiras “bombas” dirigidas à baliza do Porto Santo) e decidiram o destino do jogo: Pedro Gil marcou dois, Reinaldo outro.Até ao apito final, Pedro Moreira, Reinaldo Ventura (em mais um “tiro”), Suíssas e Filipe Santos aumentaram a contagem, fazendo com que o marcador ilustrasse melhor a real diferença entre a valia das duas formações. A vitória só não foi mais dilatada devido a alguns erros defensivos do FC Porto e à elevada eficácia do adversário, nomeadamente nas bolas paradas. Os Dragões têm agora tempo para respirar fundo antes de regressar à competição, no rinque do Valongo.Na sala de imprensa, o técnico Tó Neves analisou o encontro, mostrando o seu grau de exigência: “Foi um jogo mal conseguido da nossa parte e a responsabilidade é minha. A vitória não esteve em causa. O treinador, os árbitros e a equipa adversária não deixaram que se jogasse bem, mas a bondade dos jogadores trouxe-nos a vitória”.

FICHA DE JOGOFC

Porto Império Bonança-Porto Santo, 12-7

Campeonato nacional, sexta jornada

26 de Novembro de 2011

Pavilhão Dragão Caixa, no Porto

Assistência: 702 espectadores

Árbitros: Luís Inácio (Ribatejo), Vítor Roxo (Leiria) e António Gameiro (Ribatejo)

FC PORTO: Nelson Filipe (g.r.), Nelson Pereira, Caio, Gonçalo Suíssas e Reinaldo VenturaJogaram ainda: Pedro Moreira, Filipe Santos «cap.», Pedro Gil e Tiago Santos

Treinador: Tó Neves


PORTO SANTO: Pedro Santiago (g.r.), José Ramos, Ricardo Antunes, Javier Oliva «cap.» e Rui CovaJogaram ainda: Paulo Monteiro, Carlos Lopes (g.r.), Hugo Drumond e Daniel Paias

Treinador: Leonardo Ferreira


Ao intervalo: 4-4

Marcadores: Gonçalo Suíssas (3m, 8m e 43m), Javier Oliva (9m, g.p. e 47m, g.p.), Paulo Monteiro (13m), Pedro Moreira (22m e 38m), Paulo Monteiro (23m e 36m), Ricardo Antunes (25m), Tiago Santos (25m), Reinaldo Ventura (26m, 29m e 38m), Pedro Gil (29m e 29m), Rui Cova (39m) e Filipe Santos

BASQUETEBOL




Ginásio foi Spa 96-41.


Não é erro de leitura ou lapso de redacção. É só diferença bastante para transformar o jogo da sétima jornada da Liga no mais suave treino portista da época, proporcionando às estrelas do campeão um longo período de repouso, a que só faltou tratamento de beleza, enquanto viam crescer a distância para o Ginásio, até aos 55 pontos finais. Foi assim este sábado, no Dragão Caixa. Um sossego.Apesar de quase imperceptível e escrita de forma indelével, a história do jogo esteve lá, escondida atrás de um desfecho impensável e de uma diferença insondável entre opositores. Não é à toa que os Dragões só têm vitórias e desde muito cedo se percebeu-se também que não é por acaso que o Ginásio só conta derrotas. Mais do que isso, ficou claro que, com esta equipa, Salvador, o treinador, não tem salvação.

Para os Dragões, o compromisso da sétima jornada decorreu, então, a ritmo de treino. Mas dos de descompressão, daqueles (poucos) em que Moncho López se autoriza a umas breves pausas competitivas. Ao final do primeiro período, o vencedor estava encontrado, depois de um amplo parcial de 22-3, que, afinal, nem andava muito distante da produção azul e branca nos minutos iniciais de encontros recentes, como com a Ovarense ou o Terceira Basket.O tempo restante, em que a vantagem quebrou bem cedo a barreira das quatro dezenas, tratou apenas de confirmar a amostra do quarto inicial e permitir ao treinador galego proceder a uma rotação mais profunda, que chegou a transmitir a sensação de que o jogo se poderia disputar no banco, onde se sentou demoradamente o cinco inicial, ao ponto de Greg Stempin, o mais utilizado entre os titulares, não ter jogado mais de 21 minutos.Autor de quatro triplos, Nuno Marçal foi o MVP da partida, com 14 pontos (tantos como Miguel Maria) e 7 ressaltos, num jogo em que os 14 jogadores escalados por Moncho López ultrapassaram os 10 minutos de utilização.

FICHA DE JOGO

Campeonato da Liga, 7.ª jornada

26 de Novembro de 2011

Dragão Caixa, no Porto

Assistência: 623 espectadores

Árbitros: Paulo Marques, Hugo Antunes e Pedro Maia

FC PORTO FERPINTA (96): Reggie Jackson (11), Carlos Andrade (5), João Santos (0), Miguel Miranda (9) e Greg Stempin (8); Diogo Correira (7), João Soares (7), David Gomes (3), Rob Johnson (10), Miguel Maria (14), José Costa (8), Nuno Marçal (14)

Treinador: Moncho López


GINÁSIO (41): Francisco Destino (6), Tauras Skripkauskas (16), Pedro Rocha (2), Daniel Caluico (10) e Pedro Silva (4); Gonçalo Machado (0), Marco Rosa (0), Nuno Pereira (0), David Martins (0), George Ehiagwina (3)

Treinador: Sérgio Salvador

Ao intervalo: 45-15

Por períodos: 22-3, 23-12

DESPORTO ADAPTADO

Carina Moreira duplamente medalhada no Europeu de Síndrome de Down
Carina Moreira conquistou duas medalhas de prata durante o Europeu de Natação para atletas com Síndrome de Down, que decorreu no fim-de-semana passado, no Complexo Desportivo Rui Abreu, em Coimbra.
A representar Portugal, a nadadora portista integrou a equipa que terminou em segundo lugar as estafetas de 4x50 metros livres e 4x50 metros estilos.
Com 31 anos, Carina foi a nadadora mais velha em prova, tendo melhorado as suas marcas pessoais nos estilos de mariposa e crawl.

HOQUEI PATINS




FC do Porto vs Porto Santo 12 - 7

BASQUETEBOL



"Gosto de tudo aqui"

Num mês, Rob Johnson dá a adaptação por concluída. A ambientação à equipa, à sua filosofia e métodos de trabalho, é já uma prova superada. E fácil, assegura o poste norte-americano, que se identificou rapidamente com o desempenho do grupo e as exigências do treinador, que procura transferir para cada jogo.

Frente ao Ginásio será a assim. A partir das 18h00 de sábado, no Dragão Caixa.

Adaptação consumada"A minha adaptação está a correr muito bem, com a ajuda da equipa e do treinador.

Antes de vir para cá, falei com o Moncho López, que me falou dos jogadores, da estrutura, e desde cedo fiquei entusiasmado com a possibilidade de ser jogador do FC Porto.

Gosto de tudo aqui, do grupo, da atmosfera e da ambição de querer ganhar sempre."Óptimo treinador"O Moncho é um óptimo treinador, tem vários estilos de jogo e trabalha muito bem a defesa, que é um capítulo do jogo eu gosto particularmente."Aptos"O jogo com o Ginásio vai ser bom. Preocupamo-nos mais em estar aptos para a partida do que propriamente em reter o estilo de jogo do adversário. Vamos mostrar o nosso intenso trabalho diário."Experiência e trabalho árduo"Temos jogadores experientes, uma elevada confiança naquilo que fazemos e a capacidade de treinar arduamente para obtermos os resultados pretendidos."

ANDEBOL - TAÇA EHF



Taça EHF, 3ª Elim: Antevisão do Estrela Vermelha - FC Porto


No próximo domingo, o FC Porto regressa às competições europeias, deslocando-se à Sérvia para defrontar o Estrela Vermelha (RK Crvena Zvezda), num encontro a contar para a primeira mão da terceira eliminatória da Taça EHF.
Para chegar a esta fase da competição, o Estrela Vermelha eliminou os macedónios do HC Mojkovac, vencendo na primeira mão em casa por 23-21, com o sérvio Bozidar Nadoveza em destaque com cinco golos. Recorde-se que este jogador já jogou em Portugal, ao serviço do Benfica. No jogo da segunda mão realizado na Macedónia, a equipa do Estrela Vermelha perdeu por 24-23. O elemento mais concretizador dos sérvios foi o Boban Zivkovic, autor de seis golos. Quanto ao FC Porto, estreia-se esta temporada nesta prova, sendo que estiveram presentes em mais um apuramento para a fase de grupos da Liga dos Campeões, tendo ficado em segundo lugar da sua poule de acesso, que teve como vencedor os sérvios do Partizan. Para este desafio a realizar na Sérvia, os comandados de Obradovic deverão estar na máxima força, apesar de ainda contar com um Wilson Davyes no seu melhor nível físico, dado o tempo de paragem que enfrentou devido a lesão.

O jogo disputa-se no dia 27 de Novembro, no Pavilhão do Estrela Vermelha, pelas 17h00

CUIDADO se vir este cão não se aproxime está com raiva



Dragão Caixa - jogos deste fim de semana







JOÃO MOUTINHO



João Moutinho: «Crise? É aquilo que vocês escrevem nas notícias»

«O importante é ganhar». Conciso e pragmático, João Moutinho rejeita a ideia de crise no FC Porto, alinha pela batuta de Vítor Pereira, que apontou o dedo às análises da comunicação social, mas admite que a equipa «não vinha a jogar um grande futebol».
«Crise? É aquilo que vocês escrevem nas notícias. Claro que fomos eliminados de uma competição que queríamos ganhar, é verdade. A equipa não vinha a jogar um grande futebol, mas o importante é ganhar. Acho que tenho de salientar isso», afirmou o médio do FC Porto, no rescaldo do triunfo em Donetsk, frente ao Shakhtar, e que reacendeu as esperanças azuis e brancas na Liga dos Campeões.
Moutinho, aliás, continuou, dando mais importância à vitória por 0x2 do que à exibição, que esteve longe de deslumbrar: «Acho que todas as equipas querem jogar bom futebol, mas o mais importante é ganhar. No futebol, por muito que se jogue bem somos sempre criticados, nunca estão satisfeitos. Agora, se pudermos juntar o útil ao agradável melhor; se não pudermos, temos de fazer um jogo prático e objectivo para conseguir a vitória. Acho que foi o que fizemos», analisou.
O ponto de viragem parece ter acontecido em Coimbra, na Taça de Portugal, prova da qual o FC Porto foi eliminado pelos estudantes. «Foi um jogo que não nos saiu bem. Infelizmente para nós, fomos eliminados de uma competição, mas já pusemos esse jogo para trás das costas. Tivemos uma conversa entre todos, tínhamos de saber o que queríamos, mas demonstrámos que continuámos unidos. Apesar de as coisas não nos estarem a correr bem, felizmente a sorte sorriu-nos. É sempre importante. Fizemos um grande jogo e fizemos por merecer essa sorte. Agora estamos na luta pela passagem aos oitavos-de-final, que é o que ambicionamos», afiançou, voltando as atenções para a Champions, cujas esperanças de permanecer em prova foram reacendidas esta quarta-feira: «Foi importante. Temos de manter a mesma atitude e o mesmo nível no último jogo para conseguirmos os nossos objectivos. Foi um bom jogo contra uma grande equipa num bom ambiente. Conseguimos controlar, pôr o nosso futebol em prática, aproveitar os erros do adversário e fazer dois golos, o que era o mais importante», rematou.

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

ASSEMBLEIA DE ACCIONISTAS



Relatórios e Contas aprovados pelos accionistas


Os Relatórios e Contas da FC Porto - Futebol, SAD foram hoje aprovados sem votos contra em assembleia de accionistas, que decorreu no Estádio do Dragão.Com 62% do capital social representados, foi ainda aprovado um voto de louvor à administração e fiscalização da sociedade, bem como o orçamento para a época 2011/12.Finalmente, foi ainda aprovado sem votos contra a declaração sobre a política de remunerações dos órgãos de administração e fiscalização da sociedade.

RICARDO COSTA



Ricardo Costa regressa à equipa para jogo em Belgrado


Face à lesão de Ricardo Moreira, o treinador adjunto Ricardo Costa volta a dar o seu contributo ao FC Porto Vitalis e está entre os eleitos para o jogo com o Estrela Vermelha, a contar para a primeira mão da terceira eliminatória da Taça EHF (domingo, 17h00). Ricardo Costa e Filipe Mota fizeram a antevisão da deslocação a Belgrado, em superflash, mostrando-se conhecedores do adversário.Ricardo Costa: "Para mim é um prazer jogar"Entrega total"Voltar à equipa como jogador é sempre uma boa sensação, embora seja por um mau motivo. O Ricardo Moreira ressentiu-se de uma lesão e apareci eu para ajudar a equipa. Para mim é um prazer jogar, não acho que seja estranho. Mesmo quando sou treinador, procuro manter-me activo e treinar. São dois papéis distintos mas em qualquer um deles a entrega é total."Resolver no Dragão"Jogar fora nas competições europeias não é fácil. Neste caso especifico, a deslocação é complicada, mas o FC Porto tem as suas armas e podemos trazer um bom resultado. O jogo lá é só a primeira parte, não podemos deitar tudo a perder nem cometer loucuras. É muito bom termos o segundo jogo em casa, para rectificar algum erro cometido lá. Gostávamos que a equipa estivesse completa, mas o FC Porto tem sempre opções preparadas e vamos na mesma lutar por um bom resultado."Filipe Mota: "Já observámos o adversário e estamos preparados"Viagem desgastante"O mais difícil deste jogo será a viagem, que pode desgastar a equipa, mas estamos preparados para trazer um bom resultado. O facto de o nosso treinador ser sérvio e ter orientado o Estrela Vermelha poderia ser uma vantagem, mas o Obradovic já está fora do país há muitos anos e não está por dentro do campeonato. No entanto, já observámos o adversário e estamos preparados."Aposta no contra-ataque"Pelo que temos observado, o Estrela Vermelha é uma equipa muito rematadora e poderemos aproveitar essa situação para defender melhor e contra-atacar. As baixas do Dario e do Ricardo Moreira são importantes, mas temos dois jogadores mais novos nas mesmas posições que demonstraram, ainda no último encontro, frente ao Benfica, que podem ser opção. O Ricardo Costa vai também acrescentar a sua experiência."

50 jogos sem perder

FC Porto a caminho do 50º jogo consecutivo sem perder
O FC Porto pode “arredondar” domingo para 50 o número de jogos consecutivos sem perder na Liga portuguesa de futebol, o que acontecerá se pontuar na receção ao Sporting de Braga, na 11.ª jornada.
Nos derradeiros 49 encontros a contar para a principal prova do calendário luso, os “dragões” apresentam o notável balanço de 42 vitórias e sete empates. O “longínquo” dia 28 de fevereiro de 2010, faz domingo 639 dias, marca o último desaire dos “dragões” no campeonato, mais precisamente em Alvalade, onde perderam por 3-0, com o Sporting, na 21.ª jornada do “nacional” 2009/2010. Yannick Djaló, em trânsito para o Nice, o russo Izmailov, lesionado, e Miguel Veloso, agora no Génova, selaram, com golos aos seis, 45 e 47 minutos, respetivamente, o desaire do “onze” comandado por Jesualdo Ferreira.
Depois desse encontro, o FC Porto vai numa série de 49 consecutivos sem perder, curiosamente, com começo e final, para já, em empates com o Olhanense, o primeiro no Dragão (2-2, a 06 de março de 2010) e o segundo em Olhão (0-0, a 05 de novembro de 2011), onde Hulk falhou uma grande penalidade. Após o primeiro empate com os algarvios, o FC Porto venceu os oito encontros seguintes, incluindo um 3-1 caseiro ao Benfica, que impediu os “encarnados” de selar o título em pleno Dragão – viriam a conquistá-lo na Luz (2-1 ao Rio Ave). Os “dragões” fecharam, assim, a época 2009/2010 em “grande” e, já com André Villas-Boas no lugar de Jesualdo Ferreira, cumpriram um memorável trajeto no “nacional” 2010/2011, que concluíram sem um único desaire. Um empate em Guimarães (1-1), um segundo em Alvalade (1-1) e um terceiro na receção ao Paços de Ferreira (3-3) juntaram-se a 27 vitórias e permitiram ao FC Porto igualar o feito do Benfica, de Jimmy Hagan, que se sagrara campeão invicto em 1972/73, então com 28 triunfos e apenas dois empates. Entre os triunfos, destaque para os dois conseguidos face ao então campeão Benfica: 5-0 no Dragão, a maior vitória de sempre sobre o rival no campeonato, e 2-1 na Luz, que permitiu selar o título em plena casa dos “encarnados”. Depois de uma época de fábula, também com as conquistas da Liga Europa, Taça de Portugal e Supertaça, André Villas-Boas rumou ao Chelsea e o seu adjunto Vítor Pereira foi o escolhido para sucessor e tem mantido o registo intocável. O FC Porto já ostenta as mesmas quatro derrotas do que em toda a época 2010/2011, mas estas aconteceram na Liga dos Campeões (Zenit e APOEL), Supertaça Europeia (FC Barcelona) e Taça de Portugal (Académica). No campeonato, e após 10 jornadas, os “dragões” ainda não perderam, tendo já cedido, porém, os três empates da temporada transata, ao falharem os triunfos face a Feirense (0-0 em Aveiro), Benfica (2-2 no Dragão) e Olhanense (0-0). - Os 49 jogos sem perder do FC Porto no campeonato: Época 2009/2010 (Jesualdo Ferreira) 21 28/02 Sporting (F) D 0-3 22 06/03

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

DECO

«FC Porto foi o clube que mais amei» - Deco

No dia em que renovou contrato com o Fluminense até Dezembro de 2012, Deco revelou que o FC Porto foi o clube que mais o marcou e pelo qual se apaixonou.«O clube que mais amei foi o Porto. Sempre sonhei jogar no Barcelona, e acabei por conseguir, mas o clube que amei foi Porto. Nem sonhava jogar lá, mas a vida levou-me nesse sentido. Estive sete anos no Porto e apaixonei-me. Aprendi a gostar do clube por tudo o que lá vivi», contou Deco aos jornalistas brasileiros.
20:40 - 24-11-2011

FC do PORTO - BRAGA





FC Porto está de volta


As notícias da eliminação do FC Poto na Liga dos Campeões eram um claro exagero. Uma vitória, por 2-0, em Donetsk relança o campeão nacional na competição, precisando agora de bater o Zenit a 6 de Dezembro, no Dragão, para garantir um lugar nos oitavos-de-final. Todos ao Dragão apoiar a equipa.Ninguém o escondia, os dias não eram propriamente felizes e a equipa não rendia ao nível que habituou os adeptos, mas depois de muito sofrimento, alguma sorte em duas bolas que beijaram os ferros, acabou por ser muito superior na meia-hora final, com Hulk a abrir o marcador a dez minutos do final e um auto-golo de Rat em cima dos 90 a confirmar uma justa vitória do FC Porto.A noite fria de Donetsk começou com um calafrio na primeira jogada da partida, mas logo a seguir Hulk podia ter aberto o marcador, após um cruzamento de Alvaro Pereira que Hulk recebeu no peito, rematou de pé direito, mas um adversário conseguiu impedir o golo.O Shakhtar atacava mais e aos dez minutos Luiz Adriano isolou-se e rematou cruzado, com bola a bater no poste. A sorte que tão madrasta tem sido com os Dragões parecia querer dizer que desta vez podíamos contar com ela. E isso voltou a acontecer aos 73 minutos, quando um remate de Fernandinho ressaltou num defesa, obrigando Helton a uma defesa de recurso, com a bola a bater no poste. Pelo meio alguns contra-ataques do FC Porto de perigo relativo, mas à medida que o tempo corria os Dragões ganhavam metros no campo e ameaçavam a baliza de Rybka.Mas foi no último quarto de hora que o FC Porto acentuou o domínio, com Hulk a isolar-se após um passe belíssimo de João Moutinho e a marcar de pé direito na cara do guarda-redes.O FC Porto chegava à vantagem, resultado necessário para não depender de uma vitória gorda sobre o Zenit, e em cima dos 90, um remate de Maicon acabou desviado por Rat para a própria baliza.O FC Porto soma agora sete pontos, precisa de vencer o Zenit para assegurar o apuramento, sendo que já garantiu os serviços mínimos, que é passar para a Liga Europa, competição de que é campeão.

FICHA DE JOGO

Shakhtar Donetsk-FC Porto 0-2

Liga dos Campeões 2011/12, quinta jornada

Donbass Arena, em Donetsk

Assistência: 3275 espectadores

Árbitro: Craig Thomson (Escócia)Assistentes: Alasdair Ross e Derek Rose Assistentes adicionais: Steven McLean e Stephen O'Reilly

SHAKHTAR DONETSK: Rybka, Kobin, Kusher, Rakitskiy e Rat; Hubschman e Fernandinho; Eduardo, Mkhitaryan e Willian; Luiz Adriano.

Substituições: Eduardo da Silva por Jadson (59m), Willian por Alex Teixeira (69m), Kobin por Douglas Costa (87m)

Não utilizados: Tetenko, Gai e Chyzhov.

Treinador: Mircea Lucescu

FC PORTO: Helton; Maicon, Otamendi, Rolando e Alvaro Pereira; Fernando, Defour e João Moutinho; Djalma, Hulk e James Rodríguez.

Substituições: Djalma por Cristian Rodriguez (73m), James por Varela (81m), Defour por Souza (88m)

Não utilizados: Bracali, Fucile e Kléber..

Treinador: Vítor Pereira

Ao intervalo: 0-0

Marcadores: Hulk 79m; Rat 90m (pb)

Disciplina: James Rodriguez 35m, Eduardo da Silva 50m; Jadson 65m; Kobin 75m