sábado, 15 de outubro de 2011

TAÇA DE PORTUGAL



FC Porto goleia Pero Pinheiro e segue em frente na Taça

O FC Porto garantiu este sábado o apuramento para a quarta eliminatória da Taça de Portugal, depois de golear o Pero Pinheiro, em Sintra, por 8-0. Walter, por quatro vezes, Dajalma por duas, Defour e Varela marcaram os golos dos campeões nacionais.Um jogo sério, de futebol ofensivo, a circular a bola e com vários jovens a aproveitarem a oportunidade para mostrarem que o FC Porto não só tem um presente de vitórias, mas que o futuro está a ser preparado, foi a receita dos Dragões. Mangala, Alex Sandro e Iturbe, três jovens que chegaram este ano ao plantel, tiveram desempenhos bem positivos, como que a quererem dizer que estão prontos sempre que a equipa necessitar.O homem do jogo foi o brasileiro Walter, um jogador que tem uma excelente relação com a baliza e que marcou quatro golos, para além de uma série infindável de tabelas com os companheiros.O Pero Pinheiro foi uma equipa honesta, que teve o mérito de conseguir retardar o golo dos Dragões meia-hora, mas que não foi capaz de suportar o ritmo e a qualidade dos jogadores do FC Porto.O primeiro golo sirgiu à passagem dos 30 minutos, quando Walter tabelou com Defour, isolando o belga, que à saída do guarda-redes atirou a contar, no que foi o primeiro golo do médio com a camisola do FC Porto. Terminava a resistência do Pero Pinheiro e até ao intervalo os Dragões marcariam por mais quatro vezes, com destaque para Walter, que depois da assistência para o golo inaugural, marcaria por três vezes. Aos 33, após grande jogada e assistência de Belluschi; dois minutos depois, após uma bela arrancada de Iturbe, que desmarcou Djalma para este cruzar para Walter encostar. Finalmente, aos 45, com um remate ao ângulo, sem hipóteses de defesa. Antes, aos 40 minutos, Djalma também fez o gosto ao pé, com um remate rente ao poste, após excelente iniciativa de Iturbe.Ao intervalo o jovem argentino ficou nos balneários – sofreu uma queda feia nos últimos minutos da primeira parte, cain do sobre o braço esquerdo com violência – por troca com Varela. Com a eliminatória mais do que decidida, o FC Porto manteve a atitude ofensiva, mas baixou o ritmo, como que a preparar nos próximos duelos – já na quarta-feira recebe o APOEL para a Liga dos Campeões.Isso não impediu, no entanto, que a goleada aumentasse. Djalma bisou aos 57, recargando com êxito uma primeira tentativa de Walter, enquanto Varela marcou quatro minutos depois, após um passe de morte de Belluschi, que isolou o extremo, que contornou o guarda-redes e atirou para a baliza deserta.Até ao final, nota para mais alguns golos falhados, para o quarto golo de Walter, bem como para a estreia do jovem guarda-redes Kadu, que aos 16 anos se estreou, tornando-se o jogador mais jovem de sempre a jogar pela primeira equipa do FC Porto.

FICHA DE JOGO

Pero Pinheiro-FC Porto, 0-8 Taça de Portugal 2011/12, 3.ª eliminatória15 de Outubro de 2011Campo de jogos Pardal MonteiroAssistência: Cerca de três mil espectadores


Árbitro: Olegário Benquerença (AF Portalegre)Assistentes: Luís Marcelino e Pedro Neves Quarto árbitro: Tiago Martins (AF Lisboa)

PERO PINHEIRO: Marco Pinto, Serginho, Luís Freitas, Runa e Kadu; Aguiar e Luís Vaz; To Pê, Rui Janota e Hugo Carolo; Nuno Almeida.

Substituições: Tó Pê por Micael (65m), Hugo Carolo por Geraldino (73m), Kadu por André Fernandes (88m)

Não utilizados: Petrony, Kiko, Hélder Caminho e Rúben.

Treinador: Rui Paulo Janota

FC PORTO: Bracalli; Sapunaru, Maicon, Mangala e Alex Sandro; Souza, Belluschi e Defour; Djalma, Walter e Iturbe.

Substituições: Iturbe por Varela (46m), Djalma por Cristián Rodriguez (65m), Bracalli por Kadu (82m)

Não utilizados: Fucile , Rolando, Fernando, James Rodriguez.

Treinador: Vítor Pereira

Ao intervalo: 0-5

Marcadores: Defour (30m); Walter (33m, 35m, 45m e 90+1m), Djalma (40m e 57m), Varela (61m)Disciplina: cartão amarelo para Souza (8m), Luís Freitas (16 m), Aguiar (44m)

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

ANDRÉ VILAS BOAS Dragão de Ouro 2010/2012



FC Porto distinguiu André Villas-Boas com o Dragão de Ouro

O FC Porto decidiu entregar o Dragão de Ouro para treinador do ano a André Villas-Boas, fruto dos quatro títulos conquistados pelo agora técnico do Chelsea ao longo da última temporada, a primeira e única no comando técnico do FC Porto.
O técnico que chegou da Académica ao Dragão, sagrou-se campeão nacional, vencedor da Taça de Portugal, da Liga Europa e da Supertaça logo no ano de estreia na liderança técnica dos portistas.

Quanto ao Dragão de Ouro referente ao melhor futebolista de 2010/2011, volta a ser entregue a Hulk, que já o tinha conquistado na temporada. João Moutinho, na sua época de estreia com a camisola dos dragões, foi considerado o melhor atleta.
Já o jovem colombiano James Rodriguez leva para casa o título de Revelação, enquanto a distinção para Dirigente será entregue a Ilídio Pinto, um dos vice-presidentes do FC Porto.

EMIL KOSTADINOV



Emil Kostadinov nasceu a 12/08/1967 em Sófia na Bulgária.

Fez toda a sua formação no CSKA de Sófia, o maior clube búlgaro. Na década de 80, Kostadinov no CSKA fazia parte de um tridente ofensivo poderosíssimo com Stoichkov e com Luboslav Penev que levaram o CSKA a conquistar muitos títulos na Bulgária.

Conquistou três campeonatos búlgaros, três taças da Bulgária e conseguiu levar o CSKA a uma meia-final das Taças das Taças que perdeu para o Barcelona em 1989.

Em 1990 Kostadinov transferiu-se para o Porto e rapidamente tornou-se num dos jogadores mais adorados pelos adeptos portistas. Jogador de enorme qualidade, destacava-se pela enorme velocidade que imprimia nos contra-ataques tornando-os quase sempre mortíferos, pois tinha uma apetência para os golos fenomenal. Sempre muito mexido na frente, tinha uma técnica apurada e tinha uma espontaneidade de remate que quase sempre dava em golo, pois os seus remates eram sempre fortes e colocados. Jogou no Porto até 94 e fazia a par de Domingos a dupla de ataque no F.C. Porto, conquistando um título de campeão nacional. Depois, passou pelo Deportivo da Corunha, pelo Bayern de Munique onde conquistou uma Taça UEFA, pelo Fenerbahçe, pelo Tigres do México, pelo CSKA de Sófia e pelo Mainz da Alemanha. Pela selecção búlgara pela qual jogou 70 jogos marcando 26 golos, reeditou o famoso tridente ofensivo que já tinha feito no CSKA, com Stoichkov e Penev. Ficou a ser conhecido internacionalmente quando na fase de qualificação para o Mundial de 94 nos Estados Unidos, marcou dois golos à França tendo o segundo sido marcado no último minuto de jogo eliminando os gauleses da grande competição mundial que depois em 98 viriam a ganhar com a mesma base de jogadores. No Mundial de 94, conseguiu levar a sua selecção às meias-finais quedando-se no quarto lugar, melhor resultado de sempre da Bulgária num Mundial. Chegou também a jogar o Euro de 96 em Inglaterra e o Mundial de 98 em França mas aí tanto ele como as principais figuras da selecção búlgara já estavam na fase descendente da carreira e os nomes de Stoichkov, Balakov, Penev, Iordanov já pouco valiam. Actualmente Kostadinov trabalha no departamento do futebol juvenil do CSKA de Sófia, acumulando também as funções de empresário. Emil Kostadinov é assim mais um dos melhores jogadores estrangeiros que já jogou no F.C. do Porto.

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

1987 CAMPEÕES EUROPEU



MADJER






Rabah Madjer nasceu a 15/02/1958 em Hussein Dey na Argélia e brilhou no F.C. Porto na década de 80. Começou a sua carreira no Onalait d’Hussein-Dey na temporada de 72/73, mudando no ano seguinte para o NA Hussein Dey onde ficou até 1983. Nesse ano Madjer transferiu-se para o futebol europeu, nomeadamente para o RC Paris de França permanecendo lá, até 1985 mudando-se depois para o Tours FC também de França ficando lá poucos meses.

Na temporada de 85/86, Madjer mudou-se para o F.C. Porto aonde ganhou os seus maiores títulos tanto colectivos como individuais.

No jogo de estreia Madjer marco dois golos e deu o triunfo ao Porto sobre o Boavista por 2-1.



Em 1987, Madjer criou uma das maiores obras de arte do futebol mundial ao marcar um golo de calcanhar ao Bayern de Munique na final das Taças dos Clubes Campeões Europeus, garantindo o triunfo da equipa portista por 2-1.

Esse momento irá ficar para sempre na lembrança de todos nós pois para além de ter sido um golo fenomenal deu a primeira vitória ao F.C. Porto na maior competição europeia de clubes. No mesmo ano o F.C. Porto foi disputar a final da Taça Intercontinental frente ao Penarol do Uruguai, num campo coberto de neve e também aí Madjer foi fenomenal pois marcou o golo da vitória por 2-1 já em prolongamento num chapéu fantástico. Madjer conquistou o título de melhor jogador da partida, ganhando um automóvel que depois foi vendido tendo o dinheiro ganho pela venda, sido partilhado por toda a equipa.Depois Madjer teve uma breve passagem pelo Valência mas depressa regressou outra vez à equipa portista onde viria a terminar a sua carreira de jogador.Madjer foi considerado o melhor jogador argelino de toda a história, jogando na selecção Argelina durante 14 anos pertencendo-lhe ainda o recorde de golos marcados na selecção, 40 golos em 87 jogos. Jogou em dois mundiais, em 1982 e em 1986 no Mundial do México onde Portugal também jogou. Com um palmarés riquíssimo, Madjer conquistou uma Bola de Ouro de África em 1987, tendo sido 2.º em 1985 e 3.º em 1990. Ganhou uma Taça das Nações Africanas em 1990, ganhou uma Taça da Argélia em 1979, foi eleito o melhor jogador argelino em 1987, pelo F.C. Porto conquistou, uma Taça dos Clubes Campeões Europeus e uma Taça Intercontinental em 1987, uma Supertaça Europeia em 1988, foi campeão português em 1986 e 1990, ganhou uma Taça de Portugal de 1991, conquistou duas Supertaças de Portugal em 1986 e 1991 e foi eleito o quinto melhor jogador africano do século XX.

UMA EQUIPA DE JOSE MARIA PEDROTO anos 80



quarta-feira, 12 de outubro de 2011

CUBILHAS



Teófilo Juan Cubillas Arizaga

Nasceu a 08/03/1949 em Puente Piedra, Lima no Peru. Foi considerado o melhor jogador peruano da década de setenta e é segundo a opinião de muitos, o melhor jogador de todos os tempos daquele país sul-americano.
Cubillas começou nas camadas jovens do Alianza de Lima um dos maiores clubes peruano com 16 anos e aos 20 já dava cartas na selecção principal. Jogou as eliminatórias de qualificação para o mundial de 70 no México e no mundial ajudou a selecção do Peru a chegar aos quartos de final. Nesse mundial Cubillas foi um dos melhores marcadores com 5 golos apenas menos dois do que o principal artilheiro que foi Jairzinho do Brasil.
Em 1972 foi considerado o melhor jogador sul-americano e no ano seguinte transferiu-se para o Basileia da Suiça assinando pelo Porto passados 6 meses.
Cubillas era um avançado que gostava de partir para cima dos defesas, tinha um bom controlo de bola, tinha velocidade e tinha um bom remate mas com a mudança para o Porto transformou-se num médio criativo, organizador de jogo que transportava a equipa azul e branca para a frente.
Em 1974 Cubillas não conseguiu qualificar o Peru para o mundial mas no ano seguinte conseguiu conquistar a Copa América derrotando o Brasil nas meias-finais por 3-1 marcando dois golos.

Iturbe preparado para estreia



Iturbe: «Há ansiedade, mas estou preparado»


Juan Manuel Iturbe, ou só Iturbe. O jovem argentino está perto de se estrear pelo FC Porto e esta quarta-feira não negou que existe «ansiedade» para que esse momento chegue, em declarações no na Dragon Force de Valadares.
«Estou preparado para jogar num clube tão poderoso como o FC Porto. Há ansiedade, mas tento trabalhar da melhor maneira. Sempre quis jogar na Europa e num clube grande como o FC Porto. Estou no 4º melhor clube do mundo» disse o jovem argentino, referindo-se ao ranking IFFHS.
Depois, a comparação com Lionel Messi, ele que é considerado o «mini-Messi» da Argentina: «O Lionel Messi é um jogador de outro nível, de outro mundo. Só estou a iniciar a minha carreira futebolística e um dia espero ter a mesma carreira que ele», respondeu

domingo, 9 de outubro de 2011

Trofeu António Prata



FC Porto-Benfica 63-65

O FC Porto arrancou melhor neste encontro, tomando a dianteira do marcador. No final do 1º período a nossa vantagem cifrava-se em 5 pontos (21-16). O adversário reagiu bem e conseguiu equilibrar até 26-24. Os Dragões respondem de imediato com um triplo. Entretanto, Elvis Évora destaca-se pela negativa, com Hill a sofrer as consequências... O intervalo chegou com uma vantagem de 6 pontos (37-31). O FC Porto esteve melhor no 3º período, aumentando a sua vantagem para 54-43. O início do 4º período foi particularmente mau, com um parcial de 0-10! A 1 minuto do final, o Benfica passou para a frente do marcador (60-62). Os Dragões já não conseguiram dar a volta ao texto, num final de encontro emotivo e com muitos erros. Num jogo perfeitamente dominado e controlado até ao final do 3º período, um 4º período desastroso deitou tudo a perder.

Moncho López fez alinhar a seguinte equipa:

Reggie Jackson (10), Carlos Andrade (7), João Santos (7), Miguel Miranda (10) e Gregory Stempin (13). Jogaram ainda: Diogo Correia, André Boavida, David Gomes (2), Anthony Hill (4), Miguel Cardoso (8), José Costa (2) e Nuno Marçal.

FONSECA



Hoje, na «foto do dia»

Recordamos um histórico guarda-redes portista:

Fonseca, o ‘keeper’ da equipa que, com José Maria Pedroto, reconquistou o título depois do maior jejum da nossa história. Este guarda-redes, que também representou o Benfica no início da década de 70, vestiu a camisola do FC Porto durante 6 épocas consecutivas, e quase sempre como titular. Depois do Fonseca, seguiu-se aquele pequeno ciclo com Zé Beto

2ª CORRIDA CAMINHADA DOS OSSOS SAUDAVEIS