sábado, 29 de outubro de 2011

CRISTIANO



Cristiano Pereira


Modalidades - Hoquei em Patins


Foi formado no F. C. do Porto, onde jogou grande parte da sua carreira de hoquista. Campeão nacional, europeu e mundial por diversas vezes.Deixou a modalidade em 1985. Foi o Treinador que deu ao F. C. do Porto o título de Campeão Europeu de Hoquei em Patins em 1986, em final disputada com o Novara. Desta vez, nas «Curiosidades FCP», vamos deixar o universo do futebol para recuperarmos um ano (1986) que marcou o Hóquei em Patins português, numa altura em que o FC Porto era orientado por Cristiano Pereira (na foto), actualmente um dos símbolos do clube. Cristiano Pereira conta no seu currículo com inúmeros títulos nacionais e internacionais. No FC Porto, como treinador, foi quatro vezes campeão nacional e sagrou-se campeão europeu, em 1986, com a equipa mais forte de todos os tempos do Hóquei em Patins português. Na Taça dos Campeões Europeus dessa época, o FC Porto deu uma impressionate demonstração de classe e querer, numa caminhada ainda hoje recordada por todos. Nas meias-finais da prova, o adversário foi o Barcelona. A 1ª mão, deste autêntico clássico do Hóquei em Patins, foi disputada no Palau Blau Grana em Barcelona, num jogo onde o FC Porto conseguiu suster a força dos catalães, que nessa altura eram considerados a melhor equipa do mundo. No final, um empate (5-5) dava legítimas esperanças de passagem à Final da competição. Na 2ª mão, perante um Pavilhão Américo de Sá apinhado de gente, o FC Porto venceu os catalães por 6-4 (?), num jogo em que o Barça até marcou primeiro. Na Final, os homens orientados por Cristiano Pereira defrontaram o campeão de Itália, o Novara, onde jogavam alguns hoquistas conceituados, como o guarda-redes Piemontesi, o Bernardini, o Dal Lago, o Massimo Mariotti e o Colamaria, entre outros. A final despertou um enorme interesse junto da massa associativa do FC Porto e junto dos seus dirigentes, tendo o próprio Pinto da Costa feito questão de viajar com a equipa para Novara. Depois de uma vitória, por apenas dois golos de diferença, na 1ª mão disputada no Pavilhão Américo de Sá, o FC Porto deslocou-se a Novara, onde o esperava um ambiente de cortar à faca, com os adeptos e jogadores do campeão italiano a provocarem constantemente os hoquistas do FC Porto. Ao intervalo, o ambiente no pavilhão acabou por fazer mossa, com o marcador a registar 5-1 para o Novara! Foi altura de Pinto da Costa se deslocar ao balneário e dizer que tinha ido a Novara buscar a Taça e não para assistir a um carrosel dos italianos. O que é certo é que as palavras do Presidente, e os incentivos de Cristiano Pereira, deram os seus frutos e a 3 minutos do final do jogo o FC Porto vencia por 7-5! Uma autêntica reviravolta que ainda enfureceu mais os italianos e que obrigou o árbitro da partida a terminar o encontro, depois do arremesso de vários objectos para o ringue. Esse jogo, ainda é hoje recordado como um clássico do Hóquei em Patins europeu e mundial. Aqui fica o fantástico plantel que foi Campeão da Europa em 1986: Domingos Guimarães (Guarda-redes) Franklim (Guarda-redes) Carlos Realista António Alves Vítor Hugo Tó Neves António Vale (Capitão de Equipa) Domingos Carvalho Vítor Bruno Luís Almas Treinador: Cristiano Pereira. "

FC PORTO - PAÇOS DE FERREIRA 3 - 0



O FC Porto isolou-se hoje provisoriamente na liderança da Liga portuguesa de futebol, ao vencer em casa o Paços de Ferreira por 3-0, no encontro de abertura da nona jornada da prova.

Um golo na própria baliza do paraguaio Melgarejo, nos descontos da primeira parte (45+1 minutos), e tentos dos suplentes Kléber (64) e João Moutinho (84) selaram o triunfo dos "azuis e brancos".
Os campeões nacionais, que somaram o 48. jogo de invencibilidade na prova, passaram a contar 23 pontos, contra 20 do Benfica, que recebe sábado o Olhanense, e 17 de um trio composto por Sporting, Sporting de Braga e Marítimo.
O FC Porto venceu hoje o Paços de Ferreira por 3-0, em encontro da nona jornada da Liga portuguesa de futebol, disputado no Porto.
Ficha técnica
Marcadores:
1-0, Melgarejo, 45+1 minutos (própria baliza).
2-0, Kléber, 64.
3-0, João Moutinho, 84.
Equipas:
FC Porto: Helton, Sapunaru, Rolando, Mangala, Álvaro Pereira, Fernando, Defour (João Moutinho, 46), Belluschi, Hulk (James, 59), Varela e Walter (Kléber, 56).
(Suplentes: Bracali, Maicon, Guarín, João Moutinho, Kléber, James e Djalma).


Paços de Ferreira: Cássio, Filipe Anunciação, Javier Cohene, Eridson, Luisinho, Luiz Carlos, André Leão, Josué (Caetano, 75), Manuel José (Vítor, 83), Melgarejo e William (Michel, 54).
(Suplentes: António Filipe, Fábio Faria, Vítor, Caetano, Michel Lugo, Bacar e Michel).


Árbitro: Hugo Miguel (Lisboa).


Ação disciplinar: cartão amarelo para Kléber (62) e Josué (62).
Assistência: Cerca de 30.318 espetadores.

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

DALE DOVER jogador treinador do FC Porto 1971



Campeões Nacionais de Basquetebol 1970 1971

Da esquerda para a direita, em cima: Dale Dover, António Potela, Manuel António, Alberto Babo, Fernando Assunção e Ivo Leite; Em baixo: Ilídio Pereira, José Esteves, Fernando Gomes, Gaspar Costa, Arlindo Cunha, Alfredo Leite e Benjamim Gomes.

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

ALBERTO FESTAS

ALBERTO FESTAS

Alberto Antunes Augusto Festa



Nasceu no dia 21 de Julho de 1939 em Santo Tirso.

Foi no F.C. Tirsense que começou a jogar futebol.

Na temporada de 1960/61, já como sénior, ingressou no Futebol Clube do Porto. Vestiu a camisola azul e branca durante oito temporadas onde foi o defesa direito dos Dragões.

Em 1966 foi um dos três “Magriços” das Antas, juntamente com Américo e Custódio Pinto, que marcaram presença no Campeonato do Mundo de Futebol de Inglaterra. Em 1968 ainda fez parte do plantel que conquistou a Taça de Portugal depois da vitória do F.C. Porto sobre o V. Setúbal por 2-1 na Final do Jamor.

Na temporada seguinte, Festa regressou ao F.C. Tirsense para competir durante mais duas épocas, até terminar a sua carreira no final da temporada de 1971/72.

Palmarés1 Taça de Portugal

DRAGÃO DE OURO

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

FRANCISCO REBOREDO



Francisco Reboredo Mosquera


Nasceu no dia 14 de Setembro de 1914 em Buenos Aires, Argentina.

Chegou a Portugal em 1937 para se estrear com a camisola do Futebol Clube do Porto no dia 1 de Março, numa partida contra o Leixões S.C., e ainda a tempo de fazer parte do plantel portista que venceu o Campeonato de Portugal depois da vitória na final, em Coimbra, sobre o Sporting C.P. por 4-2.

Na temporada de 1938/39 os Dragões foram os vencedores do primeiro Campeonato Nacional da 1ª Divisão, com Reboredo a ser uma das figuras da equipa orientada por Siska.

Em 1941/42 mudou-se para Espanha para ingressar no R.C. Deportiva da Coruña, clube que representou durante cinco temporadas até terminar a carreira de futebolista em 1948.

Seguiu mais tarde a carreira de treinador. Voltou ao F.C. Porto onde foi durante vários anos o responsável pelos juvenis. Assumiu o comando técnico da equipa principal portista em 1949/50 e também em 1961/62.

Na temporada seguinte foi treinar o V. Setúbal para depois rumar a Alvalade onde fez parte da equipa técnica que levou o Sporting C.P. à vitória na Taça dos Vencedores das Taças.

Palmarés

1 Campeonatos da 1ª Divisão (Portugal)

1 Campeonato de Portugal

SORTEIO DA TAÇA DE PORTUGAL





Eis o quadro completo dos jogos:






Sporting - Sp. Braga



Naval -Benfica 18 De Novembro



Académica - FC Porto 19 de Novembro



P. Ferreira - Nacional



D. Aves - V. Guimarães



Juventude de Évora - Marítimo



Rio Ave -Torreense



Estoril -Penafiel



Belenenses - Vizela



Mirandela - Gondomar



Leixões - Santa Maria



Tondela - Oliveirense



Moreirense - Lousada



Ribeira Brava - Sp. Covilhã



São João de Ver - Tirsense



Alcochetense - Olhanense/Amares ou Pampilhosa

A quarta eliminatória está agenda para 20 de novembro, domingo, mas o Benfica pediu a antecipação do seu jogo para 18 e o FC Porto para 19, em função dos respetivos compromissos na Liga dos Campeões na semana seguinte

domingo, 23 de outubro de 2011

O melhor em Campo WALTER

WALTER

«Estou aqui para ajudar o FC Porto a ganhar»

O avançado Walter, autor de um dos golos da goleada frente ao Nacional (5-0), assegurou que está sempre pronto para corresponder quando o treinador Vítor Pereira precisar. «Estou aqui para ajudar a ganhar os jogos. Vínhamos de um empate em casa e agora temos de pensar no próximo jogo», começou por dizer Walter.

O avançado brasileiro alertou que não é fácil ser titular no FC Porto: «Temos muitos jogadores bons no plantel e na hora que o treinador precisar estarei aqui para ajudar. Estou a trabalhar nesse sentido e vim para aqui para jogar. Ainda bem que está a dar tudo certo».

FC do Porto - Nacional da Madeira 5-0



Goleada dá liderança e melhor ataque da Liga


O FC Porto goleou este domingo o Nacional por 5-0, um resultado que lhe permitiu não só regressar à liderança da Liga como passar a ter o melhor ataque da prova, com 22 golos. Defour, Walter, Sapunaru, Kléber e Hulk apontaram os golos, num jogo em que os Dragões foram sempre superiores e praticaram um futebol personalizado.Esta "chapa cinco" é ainda a maior goleada da época na Liga (só o FC Porto tinha já marcado cinco golos, mas sofrendo dois, frente à União de Leiria) e o resultado mais dilatado jamais obtido frente ao Nacional, um adversário tradicionalmente complicado para os Dragões.O FC Porto entrou em jogo a todo o gás, pressionando no meio campo adversário e trocando rapidamente a bola. O primeiro sinal de perigo foi dado por Belluschi, com um remate por cima da baliza contrária, aos dois minutos. Os madeirenses, apostados em explorar o contra-ataque, adaptaram-se rapidamente à postura portista, preenchendo bem os espaços e defendendo com muitos homens. Ainda assim, os Dragões não deixaram de criar perigo e foi de novo Belluschi, a passe de Hulk, a forçar Marcelo a uma defesa apertada.O golo haveria mesmo de surgir aos 24 minutos. Walter deu de calcanhar para Defour, que tentou a sua sorte de fora da área. O remate do belga ia colocado, mas foi ainda desviado pelo corpo de Neto, traindo Marcelo. Estava feito o 1-0, que se justificava plenamente pelo desenrolar do encontro. O médio fez o seu primeiro tento na Liga.A toada de jogo, no entanto, não se alterou. O Nacional manteve-se expectante, o FC Porto dominador. E, na sequência desse domínio, os azuis e brancos conquistaram um pontapé de canto que haveria de dar o 2-0: Hulk cruzou, Rolando cabeceou na direcção da baliza e Walter encostou junto ao poste. Foi o sexto golo do brasileiro nos últimos três jogos. Só no final da primeira parte, por intermédio de Mateus, o Nacional ameaçou a baliza do FC Porto, mas Helton resolveu o problema com facilidade.No reatamento, os madeirenses pareceram querer assumir parte da "despesa" do jogo. No entanto, foi Hulk, aos 47 minutos, num rápido contra-ataque, a ficar perto do terceiro golo. A bola raspou no poste direito da baliza do Nacional. Aos 67 minutos, o FC Porto “encerrou” a discussão da partida, ao fazer o 3-0. Belluschi apontou o livre que obrigou Marcelo a uma defesa de recurso, mas o ressalto ficou ao dispor de Sapunaru, que cabeceou à vontade. E ainda estava lá Rolando para encostar, se fosse necessário.Nos últimos instantes, mais duas cerejas sobre o bolo da exibição portista. Aos 90 minutos, Kléber finalizou uma triangulação em que também estiveram envolvidos Guarín e João Moutinho, curiosamente os três jogadores que saíram do banco. Mas o lance mais bonito do jogo tem de ser atribuído a Hulk, que, no último fôlego da partida, picou a bola sobre Marcelo, de pé esquerdo, fazendo o 5-0 e o seu quarto golo na Liga.

FICHA DE JOGO

FC Porto-Nacional, 5-0 Liga portuguesa, oitava jornada 23 de Outubro de 2011

Estádio do Dragão

Assistência: 23.135 espectadores

Árbitro: Cosme Machado (AF Braga)Assistentes: Alfredo Braga e José Gomes Quarto árbitro: Manuel Mota

FC PORTO: Helton «cap»; Sapunaru, Rolando, Mangala e Alvaro Pereira; Fernando, Defour e Belluschi; Hulk, Walter e Varela

Substituições: Defour por Guarín (72m), Belluschi por João Moutinho (72m) e Walter por Kléber (78m)

Não utilizados: Bracalli, James, Djalma e Otamendi

Treinador: Vítor Pereira

NACIONAL: Marcelo; Claudemir, Felipe Lopes «cap.», Neto e Danielson; Luís Alberto, Todorovic e Juliano; Mateus, Mário Rondon e Diego Barcellos

Substituições: Luís Alberto por Elizeu (46m), Mateus por Candeias (73m) e Diego Barcellos por Edgar Costa (85m)

Não utilizados: Vladan, Nuno Pinto, Skolnik e Oliver

Treinador: Ivo Vieira

Ao intervalo: 2-0

Marcadores: Defour (24m), Walter (40m), Sapunaru (67m), Kléber (90m) e Hulk (90m+2)Disciplina: nada a assinalar

REINALDO VENTURA 2011



Reinaldo Ventura

Modalidades - Hoquei em Patins

Dragão de Ouro

Reinaldo Miguel Silva Ventura

Nasceu em Vila Nova de Gaia, a 26 de Maio de 1978

Foi júnior do F.C. do Porto de 1995 até 1998

Passou a sénior na época 1998/99 continuando ainda a representar os Dragões.

Actua como defesa, médio e avançado.

Conquistou o décimo título, consecutivo de Campeão Nacional em 2010/2011. (Deca)Integrou a Selecção Nacional que conquistou o título de Campeã de Mundo, em 2003Venceu ainda várias Taças de Portugal e Super-Taças António Livramento.Melhor Marcador em 2008/09 Como Internacional :2009 Vencedor Torneio Internacional Montreux (Suí)2008 Finalista Campeonato Europeu Sen (Oviedo, Esp)2007 Finalista Torneio Internacional Montreux (Suí)2003 Vencedor Campeonato Mundial (Oliveira Azeméis, Por)2002 Finalista Campeonato Europeu Sen (Florença, It

HOQUEI PATINS



Campeonato, 1ª JORNADA.:

FC Porto-Paço de Arcos 6-3

Perante cerca de 1100 adeptos, o FC Porto começou a defesa do título com uma vitória clara e indiscutível sobre o Paço de Arcos, por 6-3. Antes que se esgotasse o 1º minuto já o FC Porto sofria um golo, num contra-ataque simples mas muito eficaz. Os Dragões reagiram e chegaram ao 3-1. O Paço de Arcos reduziu por 3-2 noutra jogada muito simples, onde a defesa do FC Porto foi permissível. Antes do intervalo, o FC Porto chegou ao 5-2. A 2ª parte começou com novo golo madrugador do Paço de Arcos, que teve um efeito negativo sobre a equipa, que adormeceu claramente. Os Dragões chegaram ainda ao 6º golo (6-3), resultado com que terminou o encontro. Tó Neves, no final do encontro, declarou que é «importante vencer o 1º jogo». Sobretudo quando outro dos candidatos, pelo menos o mais mediatizável, ter empatado logo na estreia. Destaque ainda para a ausência de Filipe Santos, que esteve indisponível por lesão. Pedro Gil (2), Reinaldo Ventura (2), Gonçalo Suíssas e Caio marcaram pelo FC Porto. Tó Neves fez alinhar a seguinte equipa: Edo Bosch (gr), Pedro Moreira, Reinaldo Ventura (2), Caio (1) e Pedro Gil (2). Jogaram ainda: Nélson Filipe (gr), Gonçalo Suíssas (1), Nélson Pereira e Tiago Santos.

GALA Dragões de Ouro