segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

JUNIORES B 1ª jORNADA SC BRAGA - FC PORTO 0-4



Juniores B estreiam-se na segunda fase a vencer

A equipa Sub17 do FC Porto goleou este domingo o SC Braga (4-0), em encontro da primeira jornada da segunda fase do Nacional de Juniores B. No Campo da Ponte, em Braga, os golos foram de Rafa (36m), Ivo (53m), Francisco Costa (69m) e André Silva (77m).O FC Porto alinhou com João Costa, Marcelo, André Ribeiro, Tomás Podstawski (cap.), Luís Rafael, Vítor, Raul (Francisco Costa, 64m), Belinha (Francisco Ramos, 69m), André Silva, Graça e Ivo (Moise, 74m).A formação orientada por Nuno Capucho deu assim sequência ao excelente registo obtido na primeira fase: classificou-se no primeiro lugar da série B, com 61 pontos, mais seis do que o Boavista. Os azuis e brancos conseguiram 20 vitórias, um empate e apenas uma derrota, com 91 golos marcados e nove sofridos.


Juniores C terminam primeira fase só com triunfos


A equipa Sub15 do FC Porto venceu este domingo o Feirense, por 2-0, em encontro da 22.ª e última jornada da 1.ª fase do Nacional de Juniores C. Com este resultado, os jovens Dragões terminaram a primeira parte da prova só com vitórias e, por isso, 66 pontos, mais 30 (!) do que o segundo classificado, o Varzim.No centro de treino portista, Leandro (60m) e Bruno Costa (67m) foram os autores dos golos da formação orientada por António Folha.O FC Porto alinhou com Nico, Fernando, Sandro Fonseca , Jorge, Ruben Barbosa, Varejão (cap.), Bruno Costa (Gross, 67m), João Cardoso (Tiago Couto, 35m), Leandro (João Bernardo, 35m), Paulo Alves (José Pedro, 35m) e Mesquita (Sandro Lima, 63m).

PINTO DA COSTA



Pinto da Costa: «Continuaremos a lutar por manter o FC Porto no topo do futebol europeu»

2012-02-13


Reconduzido esta segunda-feira à presidência da SAD azul e branca, Pinto da Costa define como principal objetivo manter o FC Porto no «topo do futebol europeu».
«Naturalmente que continuaremos a lutar por manter o FC Porto no topo do futebol europeu», atirou o presidente dos dragões, garantindo, ainda, que o objetivo passa, também, pela procura de «exercícios positivos, como aconteceu nos últimos cinco anos», atirou, ao site do FC Porto.
Bem ao seu jeito, o líder dos dragões deixou, ainda, uma alfinetada ao Governo: «No último ano o grupo FC Porto pagou 17 milhões de euros de impostos e tomara o Estado ter muitas empresas que paguem todos os anos 17 milhões de euros de impostos», ironizou.

JAMES RODRIGUES



James foi o homem do jogo


James foi eleito o melhor em campo no FC Porto-União de Leiria, que os Dragões venceram por 4-0. O avançado ficou intimamente ligado a três dos quatro golos da partida, apontando o segundo e assistindo Janko e Maicon para o primeiro e para o último tento dos azuis e brancos. Janko e Maicon foram os beneficiários dos passes perfeitos do colombiano, que entrou no decorrer da segunda parte.

FC PORTO - U LEIRIA 4 - 0





James derrubou muro leiriense


O FC Porto goleou este domingo a União de Leiria, por 4-0, num jogo em que James, que até começou o encontro no banco, foi figura de proa. O colombiano marcou um golo e fez duas assistências, uma delas para Janko abrir o marcador, face a um adversário que trouxe para o relvado do Dragão o seu “autocarro” e obrigou Helton a uma única defesa. A luta pela Liga continua em Setúbal, daqui a uma semana.No papel, a União de Leiria até se apresentava com audácia, mas no relvado ficou-se pela postura expectante. Os três defesas (Manuel Curto, Haas e Edso) foram quase sempre cinco, porque os laterais pouco subiam; os dois alas do suposto trio de ataque tiveram quase sempre maior preocupação em acompanhar os laterais do FC Porto; e os dois médios (Marcos Paulo e Ogu) raramente subiam no terreno. Na frente – e mesmo assim preocupado em estorvar a acção de Fernando –, só Bruno Moraes.Por isso, a posse de bola foi esmagadoramente portista, se bem que os Dragões tenham encontrado naturais dificuldades em circular a bola, face a um autêntico “muro” erigido por Manuel Cajuda. Na primeira parte, os azuis e brancos dispuseram de três situações claras para chegar ao golo: um remate de João Moutinho (14 minutos), defendido por Oblak, e dois de Janko, após assistências de Hulk e Alvaro (33 e 38). No segundo dos lances protagonizados pelo ponta de lança austríaco, foi novamente Oblak a evitar que o marcador fosse inaugurado.Da primeira parte, há ainda a registar as constantes entradas da equipa médica leiriense, procurando quebrar o ritmo de jogo. Mas a equipa azul e branca não se pode queixar destes obstáculos já habituais e sabia que, no segundo tempo, precisava de acelerar o ritmo da partida.Foi assim que os Dragões iniciaram a segunda parte, em que o adversário se viu reduzido a dez unidades aos 48 minutos, por expulsão de Shaffer, após entrada violenta sobre João Moutinho. Os leirienses recuaram ainda mais no terreno, com o avançado Bruno Moraes a ser substituído por Tiago Terroso. Ainda antes de chegar ao golo, o FC Porto viu-lhe ser negado mais um penálti, um “clássico” nos dias que correm: Hulk foi abalroado por Tiago Terroso, aos 63 minutos.O golo chegaria três minutos depois, já com James em campo, no lugar de Varela. Vítor Pereira percebeu que o colombiano poderia ser útil para encontrar espaços no meio de um bloco muito baixo, e foi assim que sucedeu. No lance do 1-0, o FC Porto circulou a bola com paciência e João Moutinho rasgou pela defesa leiriense e serviu James, que tocou para Janko encostar. Foi o segundo golo do reforço portista em dois jogos. Oblak continuou a fazer “milagres”, mas foi incapaz de evitar o segundo tento do FC Porto: o esloveno ainda parou o primeiro remate de Lucho, que foi assistido por Hulk, mas não a recarga de James. Aos 74 minutos, a partida ficou sentenciada.João Moutinho encheu o campo até aos 80 minutos, quando cedeu o seu lugar a Defour, mas seria já sem o seu contributo que o marcador chegaria ao 4-0. Alvaro, que bem mereceu o golo pelo ritmo que impôs ao corredor esquerdo, fez o 3-0, servido por Djalma, que acrescentou velocidade aos minutos finais do Dragão. O uruguaio apareceu com um autêntico ponta de lança na área leiriense, mas Maicon não lhe ficaria atrás. Na resposta a um livre apontado por James, cabeceou com autoridade para o 4-0.Antes da viagem a Setúbal, o FC Porto recebe o poderoso Manchester City (quinta-feira, 20h05), no regresso das competições europeias. A julgar pela exibição da segunda parte, os Dragões estão preparados para os desafios que se seguem.


FICHA DE JOGO




FC Porto-UD Leiria, 4-0


Liga 2011/12, 18.ª jornada 12 de Fevereiro de 2012 Estádio do Dragão, no Porto


Assistência: 27.829 espectadores


Árbitro: Rui Silva (Vila Real)


Assistentes: Álvaro Mesquita e Bruno Trindade


Quarto árbitro: Fernando Lopes


FC PORTO: Helton; Danilo, Maicon, Mangala e Alvaro; Fernando, João Moutinho e Lucho; Varela, Janko e Hulk (cap.)


Substituições: Varela por James (60m), João Moutinho por Defour (80m) e Hulk por Djalma (84m)


Não utilizados: Bracali, Cristian Rodríguez, Sapunaru e Alex Sandro


Treinador: Vítor Pereira


UD LEIRIA: Oblak; Manuel Curto, Haas e Edson; Ivo Pinto, Marcos Paulo (cap.), Ogu e Shaffer; Robinho, Bruno Moraes e Elvis


Substituições: Bruno Moraes por Tiago Terroso (53m), Robinho por Luís Leal (61m) e Elvis por Djaniny (70m)


Não utilizados: Luiz Carlos, Rúben Brígido, Marco Soares e Cacá


Treinador: Manuel Cajuda


Ao intervalo: 0-0


Marcadores: Janko (66m), James (74m), Alvaro (86m) e Maicon (89m)Cartões amarelos: Varela (27m), Janko (60m), Alvaro (79m) e Ogu (88m)Cartões vermelhos: Shaffer (48m)

domingo, 12 de fevereiro de 2012

HOQUEI PATINS FC Porto perde nos Açores



Dragões perdem nos Açores

Ao cabo de 15 jornadas, o FC Porto Império Bonança perdeu pela primeira vez no campeonato nacional. No difícil rinque do Candelária, os Dragões foram derrotados por 2-1.

Ao intervalo, os açorianos venciam por 1-0, com um tento de Jorge Silva, aos 18 minutos. Reinaldo Ventura fez o 1-1, na segunda parte, na conversão de um livre directo. A quatro minutos do fim, Mauro Fernandez apontou o golo decisivo.

Apesar do desaire na ilha do Pico, os decacampões mantêm-se na liderança do campeonato nacional, com 39 pontos, mais dois do que o Benfica, que perdeu no Dragão Caixa no passado fim-de-semana, por 6-5.

BASQUETEBOL - Santos da casa fazem milagres



Santos "fechou" a Arena

Na difícil deslocação a Ovar, o campeão e líder da Liga não se desviou um centímetro da rota. Abriu a partida da 16.ª jornada com um parcial favorável de 8-0, controlou-a frequentemente com margens superiores à dezena e venceu por nove pontos de diferença (63-72). João Santos, que na antevisão do encontro tinha traçado o objectivo de consolidar a primeiro lugar, distinguiu-se como o MVP.Apesar de determinante, a entrada em jogo dos Dragões na Arena Dolce Vita não foi tão decisiva quanto isso, percebendo-se, em vários momentos, que poderiam “disparar” no resultado a qualquer instante. Conseguiram-no parcialmente, chegando a compor uma distância confortável de 15 pontos, numa gestão de energia e talento que permitiria, se necessário fosse, uma maior expressão da inatacável supremacia portista.Verdadeiramente decisor foi João Santos, melhor marcador e homem do jogo, com 24 pontos, 15 dos quais em resultado da conversão de cinco triplos, e uma eficácia absoluta no lançamento interior e da linha de lances livres. Greg Stempin (18) e Miguel Miranda (14) também atingiram pontuações compostas por dois dígitos, exercendo um peso inquestionável na contabilidade global da equipa.

FICHA DE JOGO Campeonato da Liga, 16.ª jornada 11 de Fevereiro de 2012

Arena Dolce Vita, em Ovar

Árbitro principal: Luís Lopes

Árbitros auxiliares: Paulo Marques e Pedro Maia

OVARENSE (63): José Barbosa (11), Fernado Neves (0), Nuno Cortez (11), André Pinto (8) e Austen Powers (13); Chris Lee (12), Cristóvão Cordeiro (3), Nuno Manarte (2), Nuno Morais (3), Mário Gonçalves (0)

Treinador: Mário Leite

FC PORTO FERPINTA (72): Reggie Jackson (6), João Soares (3), João Santos (24), Greg Stempin (18) e Rob Johnson (2); Miguel Miranda (14), David Gomes (0), Miguel Maria (0), José Costa (0), Carlos Andrade (5)

Treinador: Moncho López

Ao intervalo: 30-40

Por períodos: 14-22, 16-18, 15-20 e 18-12

TAÇA EHF

HUGO LAURENTINO


Dia de São Laurentino

O FC Porto Vitalis somou este sábado o 55.º jogo consecutivo no Dragão Caixa sem conhecer a derrota, ao bater os franceses do Saint-Raphaël por 28-26, em encontro dos oitavos-de-final da Taça EHF. O quarto classificado da Liga francesa, uma das melhores do mundo, pode dar-se por satisfeito em regressar à Côte d'Azur com a eliminatória em aberto, depois de uma segunda parte avassaladora dos portistas.Os gauleses, que publicaram no seu sítio na Internet, em Dezembro, a informação de que o sorteio lhes teria sido favorável, irão regressar a casa, pelo menos com algumas dúvidas. É que o céu esteve prestes a bater-lhes na cabeça, mas é caso para dizer que ontem não foi a véspera desse dia. No próximo sábado, em França, se verá.A primeira parte foi muito equilibrada, sendo que até aos 20 minutos as equipas alternaram na liderança do marcador, mas não passaram de um golo de vantagem. Depois dos 20 minutos, o Saint-Raphaël conseguiu uma vantagem máxima de três golos, mas o FC Porto conseguiu recuperar.Ricardo Moreira teve o empate nas mãos (seria o 15-15), mas um tento de Spínola permitiu aos Dragões ir para o balneário com apenas um tento de desvantagem. Spínola e Moreira destacaram-se, com cinco golos cada nos primeiros 30 minutos (terminariam com seis e sete golos, respectivamente).Na segunda parte, o FC Porto apresentou-se bem mais agressivo a nível defensivo e os efeitos começaram a notar-se rapidamente no marcador, já que o contra-ataque passou a dar frutos (golos, leia-se). Aos 33 minutos, os azuis e brancos já estavam na frente (18-17) e à entrada dos últimos dez minutos tinham cinco golos de vantagem (25-20 e 26-21).Se bem que o guardião francês Ploquin também tenha efectuado belas intervenções, há um nome específico que merece uma menção honrosa: Hugo Laurentino, especialmente pelas defesas que fez na segunda parte. O alentejano defendeu livres de sete metros, remates de adversários isolados e até com a cabeça evitou um golo.Metade do segundo tempo foi disputado a um ritmo electrizante, com constantes contra-ataques (maioritariamente portistas) e, consequentemente, algumas falhas técnicas de parte a parte. Nos últimos 10 minutos, os franceses recuperaram no marcador e levam assim para França uma desvantagem de apenas dois golos, que acaba por ser um mal menor face à avalanche portista da segunda parte.

FICHA DE JOGOFC Porto Vitalis-Saint-Raphaël, 28-26Taça EHF, oitavos-de-final, primeira mão 11 de Fevereiro de 2012

Dragão Caixa, no Porto

Assistência: 1.179 espectadores

Árbitros: Marek Baranowski e Bogdan Lemanowicz (Polónia)

FC PORTO VITALIS: Hugo Laurentino (g.r.); Gilberto Duarte (6), Filipe Mota (1), Tiago Rocha (3), Daymaro Salina, Ricardo Moreira (cap., 6), Elias Nogueira (1), Pedro Spínola (7), Wilson Davyes (2), Dario Andrade (2) e Ricardo Costa

Treinador: Ljubomir Obradovic

SAINT-RAPHAËL: Yohann Ploquin (g.r.); Nicolas Krakowski, David Juricek (2), Alexandre Tomas (2), Heykel Megannem (4), Raphaël Caucheteux (8), Jan Stehlik, Sébastien Garain (2), Geoffroy Krantz (3), Aurélien Abily (2), Dan-rares Fortuneanu (2), Nicolas Moretti e Tom Guillermin (1)

Treinador: Christian GaudinAo

intervalo: 15-16