sábado, 25 de fevereiro de 2012

CARREGA FC PORTO vamos a luz ganhar



HOQUEI PATINS - FCPorto com dificuldades para derrotar os Tigres de Almeirim




FC Porto vence em Almeirim


O FC Porto venceu na tarde deste sábado os Tigres de Almeirim por 2-1, com dois golos de Tiago Santos, numa partida muito difícil, mas em que os Dragões souberam segurar a liderança isolada.A equipa de Tó Neves adiantou-se na primeira parte, através de um penalti de Tiago Santos, mas os Tigres de Almeirim empataram através de um golo de Diogo Lã.Na segunda parte, os Dragões pressionaram, tiveram adversário suplementar nos critérios de arbitragem adversos, mas acabaram por conseguir uma saborosa e importante vitória, através de novo golo de Tiago Santos.No final, Tó Neves não escondia a satisfação: “Semana difícil, o Tigres esteve muito bem na defesa, com critérios de arbitragem que já estávamos à espera. Tivemos de sofrer bastante, mas fico satisfeito. A equipa nunca perdeu a confiança e sabemos qual o nosso caminho e o que queremos conquistar. Vamos continuar a querer muito”.

BASQUETEBOL - SAMPAENSE - FC PORTO



Inspiração triplista de Santos leva Dragões aos 100

O FC Porto Ferpinta manteve o primeiro lugar da Liga, depois de vencer, de forma clara, o Sampaense em Oliveira do Hospital, onde os Dragões atingiram a centena de pontos (81-100) com uma exibição autoritária, especialmente sublinhada nos três primeiros parciais, que distinguiu João Santos como o melhor dos azuis e brancos ao final da tarde deste sábado.O campeão, que chegou ao intervalo com uma vantagem de 12 pontos (41-53), entrou forte na partida, mantendo o registo de clara supremacia ao longo de quase todo o encontro e cedendo apenas aos irresistíveis exercícios de gestão do resultado, que permitiu a Moncho López utilizar 11 jogadores, com seis deles (Greg Stempin, João Santos, Carlos Andrade, João Soares, Reggie Jackson e Rob Johnson) a atingir uma pontuação de dois dígitos.João Santos (12 pontos e 9 ressaltos) e Greg Stempin (12 pontos e 7 ressaltos) foram os elementos mais determinantes na exibição portista, acumulando a curiosidade de nenhum deles ter atingido os 21 minutos de utilização, barreira apenas superada por Reggie Jackson, ainda que apenas por 88 segundos.Num final de tarde de inspiração triplista, os lançamentos exteriores dos Dragões produziram a conversão de 14 dos 26 tentados (54%), com João Santos a sobressair novamente, agora em função de uma eficácia absoluta, que lhe permitiu marcar os quatro “tiros” ensaiados.

ANDEBOL - FC PORTO - Sp.HORTA 43-31



Fosso já vai nos seis pontos


O FC Porto Vitalis venceu este sábado, sem dificuldades, o Sporting da Horta, por 43-31, em encontro da 21.ª jornada e penúltima da fase regular do Andebol 1. Os Dragões, que já tinham garantido o primeiro lugar, “cavam” assim um fosso de seis pontos na liderança. Na fase final, os pontos são divididos por metade, mas os azuis e brancos garantem desde já uma “almofada” significativa.A partida não teve grande história, com os açorianos a resistirem apenas cerca de 20 minutos. Aos 15 minutos, até venciam por 7-10, mas o FC Porto arrancou para um parcial de 15-4 até ao intervalo, decidindo a partida. Uma defesa mais agressiva e uns passos mais à frente da linha de seis metros foi suficiente para “abafar” o rival.A análise da estatística não deixava margem para dúvidas, com a superioridade total dos tricampeões nacionais a ficar espelhada na eficácia do guarda-redes Hugo Laurentino (52%), nos remates de primeira e segunda linha e no contra-ataque (sete golos contra apenas um do Sporting da Horta).Na segunda parte, os Dragões “esticaram” a vantagem, que chegou a cifrar-se nos 13 tentos, mas acabaria nos 12. Com sucessivos contra-ataques, face a um adversário completamente “partido”, os portistas deram-se ao luxo de desperdiçar algumas situações de 1x0. Todos os jogadores do FC Porto tiveram oportunidade de entrar em acção.O melhor marcador da partida, com 13 golos, foi o forasteiro Kostetsky, enquanto Gilberto Duarte, com nove, foi o máximo goleador dos Dragões. A primeira fase termina em Fafe, no próximo sábado (17h).

FICHA DE JOGO:

FC Porto Vitalis-Sporting da Horta, 43-31Andebol 1, primeira fase, 21.ª jornada 25 de Fevereiro de 2012

Dragão Caixa, no Porto

Assistência: 611 espectadores

Árbitros: Alberto Alves e Jorge Fernandes

FC PORTO VITALIS: Hugo Laurentino e António Silva (g.r.); Gilberto Duarte (9), Pedro Spínola (3), Ricardo Moreira (cap., 3), Elias Nogueira (1), Wilson Davyes (4), Tiago Rocha (8), Filipe Mota (1), Daymaro Salina (4), Dario Andrade (6), Ricardo Costa (2), Malencic e Vasco Santos (2)Treinador: Ljubomir Obradovic

SPORTING DA HORTA: Nuno Silva e Fábio Silva (g.r.), Tiago Rodrigues (4), Austris Tuminskis (5), Paulo Medeiros (1), Yuriy Kostetsky (12), Afonso Almeida (1), Nelson Pina (3), Rui Barreto (2), Bruno Castro, Diogo Rios (3) e Hugo SilvaTreinador: Filipe DuqueAo intervalo: 22-14

FC PORTO GOLEIA BENFICA em juniores 3-0






FC Porto vence Benfica (3-0) em juniores



O FC Porto bateu o Benfica por uns claros 3-0, em jogo da 3.ª jornada da fase final do campeonato nacional de juniores. Num jogo em que a superioridade dos Dragões não esteve em discussão, os jovens do FC Porto reentram na luta pelo título, depois das derrotas nas duas primeiras jornadas.A vitória do FC Porto começou a desenhar-se logo aos oito minutos, quando Alves arrancou um potente remate de fora da área, sem hipótese de defesa.O FC Porto chegava à vantagem depois de uma boa entrada no jogo, resultado que se manteria inalterado até ao descanso.Na segunda parte, o FC Porto aumentou o ritmo e fechou o resultado em apenas quatro minutos. Primeiro, aos 67 m, Ebo concluiu uma boa jogada de Vion na direita, para aos 71 m ser o próprio Vion a emendar um belíssimo cruzamento de trivela de Tozé.Com este resultado o FC Porto subiu à sexta posição, com três pontos e a três pontos da liderança. No próximo sábado o FC Porto joga em Setúbal.No final, o treinador Rui Gomes elogiou a capacidade de reacção da equipa e insistiu em dizer que o FC Porto vai lutar pelo título até ao fim.“Resultado muito importante, porque tal como disse na antevisão, esta vitória recoloca-nos na discussão do título. Gostaria de destacar que é uma vitória de uma equipa com muito carácter e personalidade. Este foi o terceiro jogo no espaço de uma semana, com muita fadiga também mental, mas sabíamos que tínhamos de ter esta atitude para derrotar o Benfica. Estamos na corrida e independentemente do que aconteça daqui para a frente, tenho a certeza que vamos lutar até ao fim por sermos campeões”.

LIGA INDOOR FERTIBÉRIA



Brilho de Barros e Capucho não evita derrota na Corunha

Cinco golos de Rui Barros e outros tantos de Capucho não bastaram para evitar a derrota da equipa “Vintage” do FC Porto, que perdeu, por 12-11, na noite desta sexta-feira, na Corunha, frente ao Deportivo, em jogo da segunda jornada do Grupo 1 da Liga Indoor Fertibéria.Os Dragões, que atingiram o intervalo já em desvantagem (9-5), tiveram em Rui Barros e Capucho as suas principais figuras, com a dupla de atacantes a somar dez dos 11 golos da equipa. O golo restante, que é até foi o primeiro dos azuis e brancos, foi apontado por Mário Silva.Enfraquecidos pelas ausências de Vítor Baía, Gomes, Pedro Emanuel, Folha e Paulinho Santos, os Dragões igualaram a partida (11-11) a cinco minutos do final, por intermédio de Rui Barros, depois de inteligentemente assistido por Capucho, mas acabariam por permitir que Repi resolvesse o encontro a favor do Deportivo, com apenas dois minutos para jogar.Com a derrota na Corunha, os Dragões desceram à quarta posição do grupo, mas contando menos um jogo disputado do que Celta de Vigo e Sporting de Gijón, que ocupam a segunda e terceira posições da série, que passa a ser liderada pelo Deportivo.Com oito golos e 46 anos, Rui Barros distingue-se já como um dos melhores marcadores da competição, somando menos um do que Juan Sánchez e Baraja, ambos do Valência.Na primeira jornada, o FC Porto tinha vencido, por 11-10, o Sporting de Gijón, actual detentor do título, em jogo disputado a 3 de Fevereiro, no Dragão, onde o “Vintage” azul e branco regressa, ainda em data a definir, para receber o Málaga, sexto e último classificado do grupo.

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

ANDEBOL no fim de semana



ANDEBOL



FC Porto vence em Águas Santas

O FC Porto foi na noite desta terça-feira vencer o Águas Santas por 29-24, resultado que permite aumentar a vantagem na liderança.O jogo foi muito disputado e equilibrado, com os Dragões a vencerem por dois golos (14-12), mas foi quando o Águas Santas colou a um golo de distância que o FC Porto arrancou para dez minutos finais sensacionais, com jogadas de combinação invariavelmente concluídas nos seis metros, o que permitiu abrir no marcador e terminar com cinco golos de vantagem.No ataque dos Dragões destaque para as sete finalizações de Tiago Rocha e Pedro Spínola, numa equipa que joga um andebol de grande qualidade.A duas jornadas do final da primeira fase o FC Porto é líder, com 56 pontos, mais cinco do que o Benfica, que ultrapassou o Águas Santas na segunda posição.Nas duas últimas jornadas o FC Porto recebe o Sporting da Horta e desloca-se ao Fafe.


Dragões regressam às vitórias em Paço de Arcos

O FC Porto Império Bonança venceu, em Paço de Arcos, a equipa local, por 7-4, em encontro da 16.ª jornada do Nacional da I Divisão disputado na noite desta terça-feira, mantendo, assim, o primeiro lugar da competição e fechando um ciclo de duas derrotas consecutivas, sofridas nos Açores, frente ao Candelária, e em Itália, perante o Valdagno.Os decacampeões nacionais, que atingiram o intervalo a vencer por 4-1, tiveram em Pedro Moreira e Reinaldo Ventura os melhores marcadores, com dois golos cada. Pelos Dragões, marcaram ainda Filipe Santos, Gonçalo Suíssas e Caio.Na próxima jornada, os azuis e brancos, que somam 42 pontos, mais cinco do que o Benfica (recebe o HC Braga esta quarta-feira), deslocam-se a Almeirim, para defrontar os Tigres, a partir das 18h00 de sábado.

VILLAS BOAS AO LADO DE PINTO DA COSTA



Villas Boas ao lado de Pinto da Costa em Manchester (com fotos)

André Villas Boas deslocou-se a Manchester, onde assistiu junto de Pinto da Costa e de Reinaldo Teles ao encontro do FC Porto frente ao City.Apesar de estar no comando do Chelsea, e a viver momentos bem complicados, Villas Boas fez assim questão de ver in loco aquele que é a sua equipa do coração e no comando da qual tantas vitórias festejou na época passada.O resultado, porém, não foi certamente o desejado, com o FC Porto a ser derrotado por 0-4 e a despedir-se da Liga Europa.

MANCHESTER CITY - FC PORTO 4-0



FC Porto despede-se da Liga Europa

O FC Porto foi eliminado da Liga Europa, depois de perder por 4-0 com o Manchester City, num dia em que tudo correu mal à equipa, a começar por um golo sofrido aos 20 segundos e que terminou com a equipa a desmoronar-se no último quarto de hora.Não podia ter começado pior o jogo para o FC Porto, que sofreu o primeiro golo logo aos 20 segundos, depois de Otamendi errar um passe, permitindo a Toure isolar Aguero, que rematou cruzado, sem hipóteses para Helton.O FC Porto reagiu, jogou no meio-campo do adversário e aos 17 minutos dispôs de uma grande oportunidade para empatar, quando Varela, isolado por Lucho, rematou à figura de Hart.A equipa continuou a crescer na partida, teve um período de intenso domínio e pressão ofensiva, só quebrado por um contra-ataque de Aguero em que o remate bateu na trave.Em cima do intervalo, um livre do Hulk foi desviado pelo corpo de um adversário e do canto respectivo Otamendi rematou por cima, quando estava em excelente posição.Na segunda parte o FC Porto aumentou a pressão, chegou a fazer golo, numa emenda de James, que o árbitro invalidou por fora de jogo de Hulk, teve várias bolas de perigo, mas acabou por sofrer o segundo golo num contra-ataque que Dzeko concluiu com competência.A eliminatória estava perdida e o City ainda haveria de aproveitar novo erro alheio para fazer o 3-0, por intermédio de Silva, numa altura em que a equipa estava reduzida a dez unidades, por expulsão de Rolando. Dois minutos depois, Pizarro fechou o resultado.O FC Porto despede-se da Liga Europa com um resultado muito pesado, num final de tarde em que tudo correu mal.FICHA DE JOGOManchester City - FC Porto, 4-0Liga Europa, 16-avos-de-final, 2.ª mão22 de Fevereiro de 2012Estádio Cidade de Manchester, em ManchesterAssistência: cerca de 40 mil espectadoresÁrbitro: Wolfgang Stark (Alemanha)Árbitros assistentes: Jan-Hendrik Salver e Mike PickelQuarto árbitro: Marco FritzÁrbitros assistentes adicionais: Florian Meyer e Deniz AytekinMANCHESTER CITY: Hart; Richards, Kompany (cap.), Lescott e Clichy; De Jong e Barry; Silva, Yaya Touré e Narsi; AgueroSubstituições: Barry por Milner (78m), Nasri por Dzeko (69m) e sdf por dfd (88m), Aguero por Pizarro (80 m)Não utilizados: Pantilimon, Zabaleta, Savic e BalotelliTreinador: Roberto ManciniFC PORTO: Helton; Maicon, Rolando, Otamendi e Alex Sandro; Fernando, Lucho e João Moutinho; Varela, Hulk (cap.) e JamesSubstituições: Otamendi por Sapunaru (63 m), Varela por Rodríguez (63 m), James por Defour (80 m)Não utilizados: Bracali, Tomás, Djalma e KléberTreinador: Vítor PereiraAo intervalo: 1-0Golos: Aguero (1 m), Dzeko (76 m), Silva (84 m), Pizarro (86 m)Cartão amarelo: Rolando (14 e 76 m), Lucho González (14 m), Otamendi (27 m), João Moutinho (30 m), Toure (67 m)Cartão vermelho: Rolando (76 m)

domingo, 19 de fevereiro de 2012

JUNIORES B VENCERAM O VARZIM POR 4-0

Juniores B golearam Varzim

A equipa Sub17 do FC Porto goleou este sábado o Varzim, por 4-0, em encontro da segunda jornada da segunda fase do Nacional de Juniores B (zona dois). No Campo da Ponte, André Silva (19m e 69m), Rafa (32m) e Graça (41m) foram os autores dos golos.A formação orientada por Nuno Capucho está na frente da zona dois, disputada por quatro equipas, somando duas vitórias nos dois jogos já disputados (seis pontos). O Varzim, com três pontos, é segundo.O FC Porto alinhou com João Costa, Marcelo, André Ribeiro, Tomás Podstawski (cap.), Luís Rafael, Vítor, Raul (Francisco Costa, 50m), Belinha (Moise, 60m), André Silva, Graça (Francisco Ramos, 55m) e Ivo.

V. SETUBAL - FC PORTO 1 - 3





Setúbal é mesmo um bom fim


Com a vitória deste domingo, por 3-1, os triunfos consecutivos dos Dragões no Bonfim, em jogos da Liga, sobem para 12. O mais recente começou a escrever-se ao terceiro minuto, com Janko a confirmar uma apetência invulgar, teve direito a estreia, com Fernando a marcar pela primeira vez, e ainda sobrou tempo e talento para Varela fechar as contas, silenciando o projecto de revolta setubalense.A entrada determinada era assumida e a confirmação não se fez esperar. Três minutos foi tempo de sobra para o FC Porto marcar, com um movimento rápido de João Moutinho a oferecer o terceiro golo em três jogos a Janko, que, com um desvio de cabeça, igualou o registo de Jardel na sua época de estreia nos Dragões.A disposição portista foi ratificada nos minutos seguintes, com um domínio crescente que permitiu ao campeão desenhar o jogo no género “sentido único” e alargar a vantagem, ainda antes da meia hora, com uma estreia absoluta: num lance que abriu com a recuperação de bola e fechou com um remate cruzado, Fernando marcou o seu primeiro golo na Liga com a camisola do FC Porto; de permeio, apenas a assistência de Hulk.Nada mudou com o segundo golo portista. Autoritário, o campeão continuou a decidir o destino do encontro, numa tendência confirmada pelo registo de posse de bola, que, entre inevitáveis oscilações, atingiu várias vezes a casa dos 70 por cento. Antes e depois do intervalo, o jogo foi quase sempre aquilo que o FC Porto quis, permitindo-se os Dragões a uma compreensível gestão do esforço, justificada pela experiência europeia recente.A supremacia portista sofreria um golpe inesperado, absolutamente contra a corrente e desferido na transformação exemplar de um livre directo. Marcou Meyong. Aos 75 minutos, o Vitória parecia, por fim, reentrar no jogo, numa ilusão prontamente desmentida por Varela, que fez o terceiro golo dos Dragões quatro minutos depois, assistido por Rodríguez, com um passe atrasado perfeito.Retomada a normalidade, o FC Porto reproduziu sinais de clara hegemonia, com o mais gritante a esbarrar na trave, a remate de Sapunaru, e os restantes a provocarem o desequilíbrio profundo da defesa de Setúbal.


FICHA DE JOGO

Vitória de Setúbal-FC Porto, 1-3

Liga, 19.ª jornada19 de Fevereiro de 2012

Estádio do Bonfim, em Setúbal

Árbitro: Paulo Baptista (Portalegre)

Árbitros assistentes: José Braga e Valter Rufo

Setúbal é mesmo um bom fimCom a vitória deste domingo, por 3-1, os triunfos consecutivos dos Dragões no Bonfim, em jogos da Liga, sobem para 12. O mais recente começou a escrever-se ao terceiro minuto, com Janko a confirmar uma apetência invulgar, teve direito a estreia, com Fernando a marcar pela primeira vez, e ainda sobrou tempo e talento para Varela fechar as contas, silenciando o projecto de revolta setubalense.A entrada determinada era assumida e a confirmação não se fez esperar. Três minutos foi tempo de sobra para o FC Porto marcar, com um movimento rápido de João Moutinho a oferecer o terceiro golo em três jogos a Janko, que, com um desvio de cabeça, igualou o registo de Jardel na sua época de estreia nos Dragões.A disposição portista foi ratificada nos minutos seguintes, com um domínio crescente que permitiu ao campeão desenhar o jogo no género “sentido único” e alargar a vantagem, ainda antes da meia hora, com uma estreia absoluta: num lance que abriu com a recuperação de bola e fechou com um remate cruzado, Fernando marcou o seu primeiro golo na Liga com a camisola do FC Porto; de permeio, apenas a assistência de Hulk.Nada mudou com o segundo golo portista. Autoritário, o campeão continuou a decidir o destino do encontro, numa tendência confirmada pelo registo de posse de bola, que, entre inevitáveis oscilações, atingiu várias vezes a casa dos 70 por cento. Antes e depois do intervalo, o jogo foi quase sempre aquilo que o FC Porto quis, permitindo-se os Dragões a uma compreensível gestão do esforço, justificada pela experiência europeia recente.A supremacia portista sofreria um golpe inesperado, absolutamente contra a corrente e desferido na transformação exemplar de um livre directo. Marcou Meyong. Aos 75 minutos, o Vitória parecia, por fim, reentrar no jogo, numa ilusão prontamente desmentida por Varela, que fez o terceiro golo dos Dragões quatro minutos depois, assistido por Rodríguez, com um passe atrasado perfeito.Retomada a normalidade, o FC Porto reproduziu sinais de clara hegemonia, com o mais gritante a esbarrar na trave, a remate de Sapunaru, e os restantes a provocarem o desequilíbrio profundo da defesa de Setúbal.FICHA DE JOGOVitória de Setúbal-FC Porto, 1-3Liga, 19.ª jornada19 de Fevereiro de 2012Estádio do Bonfim, em SetúbalÁrbitro: Paulo Baptista (Portalegre)Árbitros assistentes: José Braga e Valter RufoVITÓRIA DE SETÚBAL: Ricardo; Ney Santos, Ricardo Silva, Amoreirinha e Miguelito; Djikiné, Hugo Leal, Bruno Amaro e Neca; Targino e MeyongSubstituições: Neca por Bruno Gallo (37m), Djikiné por Rafael Santos (46m) e Targino por Severino (85m)Não utilizados: Diego, Igor, Tengarrinha e GonçaloTreinador: José MotaFC PORTO: Helton; Sapunaru, Rolando, Otamendi e Alex Sandro; Fernando, João Moutinho e Lucho; Hulk, Janko e VarelaSubstituições: Lucho por Defour (59m), Hulk por Rodríguez (67m) e João Moutinho por James (67m)Não utilizados: Bracali, Djalma, Kléber e MaiconTreinador: Vítor PereiraAo intervalo: 0-2Golos: Janko (3m), Fernando (26m), Meyong (75m), Varela (79m)Cartão amarelo: Ney Santos (14m), Amoreirinha (22m), Sapunaru (69m), Otamendi (74m) e Bruno Amaro (82m)ITÓRIA DE SETÚBAL: Ricardo; Ney Santos, Ricardo Silva, Amoreirinha e Miguelito; Djikiné, Hugo Leal, Bruno Amaro e Neca; Targino e MeyongSubstituições: Neca por Bruno Gallo (37m), Djikiné por Rafael Santos (46m) e Targino por Severino (85m)Não utilizados: Diego, Igor, Tengarrinha e Gonçalo

Treinador: José Mota

FC PORTO: Helton; Sapunaru, Rolando, Otamendi e Alex Sandro; Fernando, João Moutinho e Lucho; Hulk, Janko e Varela

Substituições: Lucho por Defour (59m), Hulk por Rodríguez (67m) e João Moutinho por James (67m)

Não utilizados: Bracali, Djalma, Kléber e Maicon

Treinador: Vítor Pereira

Ao intervalo: 0-2

Golos: Janko (3m), Fernando (26m), Meyong (75m), Varela (79m)Cartão amarelo: Ney Santos (14m), Amoreirinha (22m), Sapunaru (69m), Otamendi (74m) e Bruno Amaro (82m)

PETRO DE LUANDA - FC PORTO



BASQUETEBOL

FC do Porto perde na final com o Petro de Luanda por 64-51

JUNIORES A SUB 19

Sub19 reentram com o pé esquerdo
A equipa Sub19 do FC Porto perdeu, este sábado, frente ao Braga, por 1-2, em encontro disputado no mini-estádio do Olival e referente à primeira jornada da fase final do Campeonato Nacional de Juniores A.O onze portista entrou muito forte e rapidamente assumiu as rédeas da partida, tentando contrariar de todas as formas o bloco fechado apresentado pelos arsenalistas. A primeira meia-hora de jogo desenrolou-se no meio-campo bracarense, mas surgiram dois problemas: faltou eficácia ao ataque dos Dragões e acerto à equipa de arbitragem, em especial num lance criado pela arte de Tozé, que isolou Leandro com um passe de letra e viu o colega ficar sem a possibilidade de rematar à baliza devido a um fora-de-jogo mal assinalado.O Braga manteve as linhas recuadas e só em contra-ataque conseguiu sair a jogar. Foi num lance do genéro, travado em falta, que os arsenalistas chegaram ao golo aos 28 minutos. Carlos Eduardo bateu o livre para defesa de Kadú, e Alan, sozinho, aproveitou para assinar o 0-1 na recarga.Os azuis e brancos tentaram responder de imediato e tiveram de lidar com o azar: Tozé, de livre directo, roubou tinta ao poste. Depois foi Fábio Martins, de cabeça, o mesmo Tozé, num remate de fora da área, Vion, por duas vezes, e Ebo, quem ficaram a dever os festejos às defesas de Bruno Martins, o guarda-redes adversário.No meio de tantas contrariedades não faltou novo golpe ao minuto 42: Kadú impediu o golo bracarense por duas vezes, com defesas espantosas, mas à terceira, em nova recarga, Alan bisou no encontro.O melhor que os Dragões conseguiram no meio dos 75% de posse de bola foi reduzir os números do marcador para 1-2, por intermédio do capitão Tiago Ferreira. O central facturou aos 67 minutos, após dominar no peito e rematar de pé esquerdo.Até ao final do jogo, pese o “forcing” atacante, a sorte nada mais quis com os campeões do escalão, que se estreiam assim na fase final do campeonato com o resultado menos desejado.O FC Porto alinhou com Kadú, André Teixeira, Tiago Ferreira, Hugo Basto (Frederic Maciel, 79m), Rafael Floro (Adriano, 87m), Mikel, Leandro Silva (Alves, 63m), Tozé, Fábio Martins, Ebo e Vion

FC PORTO - MANCHERTER CITY



Ficou difícil defender o título

Impossível não é, mas, no mínimo, será difícil. Depois da derrota (2-1) no Dragão, num misto de obra do acaso e mérito do adversário, a qualificação portista para os oitavos-de-final da Liga Europa passa a obedecer aos rigores de uma contabilidade delicada, que não dispensa a vitória em Manchester e impõe uma exibição perfeita, livre dos deslizes que comprometeram a defesa do título.A estrutura surpresa do City, montada no galope de Balotelli e na elasticidade de uma estratégia que, para lá da hábil exploração do contra-ataque, tinha como prioridade atenuar a influência do meio-campo portista, encontrou a justificação em pouco minutos. Roberto Mancini, que conhece os Dragões das meias-finais de 2003, já esperava a entrada personalizada do adversário.Sem espanto, nem receio do opositor milionário, o FC Porto depressa revelou a sua faceta autoritária, impondo o recuo inglês, ditado por presença assídua na área e muita mobilidade do tridente atacante. Não foi jogo de sentido único, longe disso. Helton revelou-se até determinante em momentos-chave, mas o domínio era claramente azul e branco.O golo foi, por isso, uma questão de ensaio e depuração de movimentos. Quando Varela marcou, aos 27 minutos, Clichy já tinha substituído o seu guarda-redes, a um passo da linha fatal, adiando o inevitável. Sem ninguém que desempenhasse o seu papel, Hart não conseguiu, então, melhor do que um toque insuficiente perante Varela, que não perdoou, na ponta final de um lance rápido com escala no pé esquerdo de Hulk.Só em desvantagem o Manchester City recuperou a atitude habitual, preferindo, então, a posse e chegando ao empate num lance infeliz de Alvaro, que, num só minuto, o 55.º, viu o cartão amarelo que o impede de jogar a segunda mão e assinou, inadvertidamente, um auto-golo, com a bola a bater-lhe nas costas e a trair Helton, num cruzamento aparentemente inofensivo.O jogo voltaria à primeira forma, mas numa versão menos intensa e praticamente sem oportunidades de golo que a pudessem enriquecer. Mas, ainda assim, ele voltaria a acontecer, nos instantes finais, sem pré-aviso e depois de um deslize defensivo, que deixou Yaya Touré à vontade para oferecer, perante a saída de Helton, o 2-1 a Agüero, que baralhou ainda mais as contas delicadas da qualificação portista.

FICHA DE JOGO

FC Porto-Manchester City, 1-2

Liga Europa, 16-avos-de-final, 1.ª mão

Estádio do Dragão, no PortoAssistência: 47.417 espectadores

Árbitro: Cüneyt Çakir (Turquia)Árbitros assistentes: Bahattin Duiran e Mustafa EyisoyQuarto árbitro: Suleyman AbayÁrbitros assistentes adicionais: Hüseyin Göcek e Bülent YildirimFC PORTO: Helton; Danilo, Rolando, Maicon e Alvaro; Fernando, Lucho e João Moutinho; Varela, Hulk (cap.) e JamesSubstituições: Danilo por Mangala (22m), Varela por Kléber (77m) e Mangala por Defour (89m)Não utilizados: Bracali, Rodríguez, Djalma e Alex SandroTreinador: Vítor Pereira

MANCHESTER CITY: Hart; Richards, Kompany (cap.), Lescott e Clichy; De Jong e Barry; Silva, Yaya Touré e Narsi; BalotelliSubstituições: Balotelli por Agüero (78m), Silva por Kolarov (82m) e Nasri por Zabaleta (88m)Não utilizados: Pantilimon, Pizarro, Dzeko e SavicTreinador: Roberto ManciniAo intervalo: 1-0Golos: Varela (27m), Alvaro (a.g., 55m), Agüero (85m)Cartão amarelo: Danilo (20m), Yaya Touré (25m), Alvaro (55m), Kompany (59m), De Jong (60m), Barry (61m), Nasri (74m) e Richards (90m+3)

VALDAGNO - FC PORTO 7-6

Derrota no último segundo apaga primeira parte perfeita
O FC Porto Império Bonança agravou as contas da qualificação para a “final eight” da Liga Europeia, ao perder, na noite deste sábado, em Itália, frente ao Valdagno, por 7-6. Os Dragões, que atingiram o intervalo a vencer por 4-0, não foram capazes de segurar a vantagem e caíram para a terceira posição do Grupo C. Agora, o apuramento não dispensa a vitória na Corunha, frente ao Liceo.Dois golos de Tiago Santos em apenas dois minutos, secundado por Filipe Santos e Gonçalo Suíssas, estiveram na origem de uma primeira parte perfeita do decacampeão nacional. Exímios no contra-ataque, os azuis e brancos davam a provar ao adversário do seu próprio veneno, numa estratégia que não produziria os mesmos efeitos na segunda metade.Caio e Reinaldo Ventura, já na segunda parte, reponderam à reacção da equipa italiana, que acabaria por fazer uma ponta final soberba, apontando três golos nos últimos quatro minutos, cabendo a Cocco a garantir a vitória do Valdagno no derradeiro segundo do encontro.Com o desfecho do jogo de Itália, o FC Porto Império Bonança fica obrigado a repetir a vitória sobre o campeão europeu, mas agora na Corunha, na penúltima jornada, frente ao Liceo, que partilha a primeira posição com o Valdagno, depois de ter vencido em Genéve, por 2-4. A dupla de líderes soma nove pontos, mais três do que os Dragões.Golos: 0-1, Tiago Santos (9m); 0-2, Tiago Santos (11m); 0-3, Filipe Santos (16m); 0-4, Gonçalo Suíssas (20m); 1-4, Dario Rigo (26m); 1-5, Caio (31m); 2-5, Dario Rigo (36m); 3-5, Cocco (41m), 4-5, Nicoletti (43m); 4-6, Reinaldo Ventura (47m); 5-6, Nicolia (47m); 6-6, Nicoletti (49m); 7-6, Cocco (50m).


Paulinho Santos integra equipa técnica

Paulinho Santos passa a partir de hoje a integrar a equipa técnica do FC Porto. A necessidade de acompanhamento dos jovens jogadores e dos atletas emprestados motivou o crescimento da equipa técnica liderada por Vítor Pereira.Paulinho Santos tem 41 anos e foi um emblemático jogador do FC Porto, que representou durante 11 épocas, tendo conquistado 18 troféus com a camisola azul e branca, entre os quais sete campeonatos nacionais, sendo um dos atletas que estiveram do princípio ao fim na série do pentacampeonato.

António Folha, por sua vez, é o novo assistente do treinador Rui Gomes, nos Sub 19.