quarta-feira, 21 de março de 2012

BASQUETEBOL - Nuno Marçal envia mensagem


Marçal envia mensagem aos adeptos

Nuno Marçal não tem passado dias fáceis mas mantém a boa disposição e a simpatia de sempre. O capitão do FC Porto Ferpinta está lesionado há várias semanas e por isso não participou na mais recente conquista do basquetebol portista. Mesmo assim, foi o 22 dos Dragões quem levantou a Taça de Portugal no último fim-de-semana. Agora, vem dedicá-la.

Moncho López e os restantes elementos da equipa não tiveram dúvidas na hora dos festejos. O troféu conquistado em Fafe no último domingo, após o triunfo sobre a Académica (58-47), devia ser recebido pelas mãos do primeiro capitão, ainda que este não tivesse autorização do departamento médico para entrar em campo. Marçal, com toda a naturalidade, fez a vontade ao plantel e agradeceu o gesto. Esta quarta-feira, no intervalo dos tratamentos a que tem sido submetido para debelar a lesão na coxa direita, fez questão de enviar uma mensagem aos adeptos. Afinal de contas, os sete títulos alcançados em menos de dois anos também são "culpa" dos aficionados.

Aqui vai, na íntegra, a mensagem que Nuno Marçal enviou ao www.fcporto.pt, de forma a chegar a todos os adeptos: "Gostava, em meu nome e de toda a equipa, de agradecer a todos os adeptos e simpatizantes do FC Porto que estiveram presentes na Final 8 da Taça de Portugal, em Fafe, por todo o enorme apoio que nos deram durante os três jogos. Quero dizer-lhes que foram uma parte muito importante de mais este sucesso, que todos partilhamos. Agradecemos por estarem sempre do nosso lado, em cada momento importante da temporada. Juntos provamos, uma vez mais, o porquê de ser


FC Porto é o melhor clube português do século XXI

O FC Porto é o melhor clube português do século XXI, segundo a Federação Internacional de História e Estatística do Futebol (IFFHS). No "ranking" dos melhores da Europa, os Dragões surgem no 12.º lugar, com 2104 pontos.

Os Dragões estão à frente de clubes como Valência, Juventus ou Ajax, distanciando-se também, por grande margem, das outras três equipas portuguesas presentes no "top 100". O Sporting é o segundo melhor classificado a nível nacional, estando no 27.º lugar, com 1678 pontos. O FC Barcelona é o primeiro classificado da tabela, com 2917 pontos.

Para eleger o clube do século XXI foram contabilizados os resultados de todas as competições nacionais e internacionais em que as equipas participaram.

SORTEIO PARA OS 16-AVOS DE FINAL


Oliveirense é adversário nos 16-avos da Taça

O FC Porto Império Bonança vai defrontar a Oliveirense nos 16-avos de final da Taça de Portugal. O encontro está agendado para 25 de Abril, no Dragão Caixa. O sorteio dos 16-avos de final (e da terceira eliminatória, que se disputa a 11 de Abril, ainda sem a participação dos Dragões) realizou-se esta segunda-feira, na sede da Federação de Patinagem de Portugal.

A Oliveirense encontra-se na sexta posição do campeonato nacional e é a actual detentora da Taça. Na época passada eliminou o FC Porto nas meias-finais (5-4).

TAÇA DA LIGA



A derrota que não desLiga

A quarta vitória consecutiva na Luz não andou longe. Andou por ali, nos pés de Lucho ou nos arranques de Hulk, que desde cedo geraram a sensação de encurtar o caminho para a final da Taça da Liga. Entre voltas e reviravoltas, o FC Porto perdeu a oportunidade de fechar a eliminatória antes da meia-hora e, com ela, perdeu também o jogo. Mas não o sentido da prioridade, que aponta ao título.

Entrar a perder é a expressão. Sem tempo nem ascendente para justificar a vantagem, o Benfica já vencia ao quarto minuto. Marcou Maxi Pereira. Mas o remate cruzado do uruguaio não deixou marcas para lá do resultado. Bola ao centro e Alvaro, por curiosidade, também ele uruguaio, transmitia o primeiro sinal de que a reacção portista não se faria esperar. Na verdade, produziu a reviravolta em apenas 13 minutos.

Um trabalho fantástico de Hulk, que decompôs a defesa adversária e aguardou pelo momento exacto para o remate de Lucho, está na origem do empate, ainda que Javi García tenha desempenhado um papel determinante no desenlace, ao desviar a trajectória da bola, que pouco depois voltaria ao fundo das redes da baliza defendida por Eduardo. Mangala subiu bem alto e fez, de cabeça, o 2-1.

A pressão azul e branca, exercida aos primeiros esboços de ataque do opositor, gerou uma sucessão de situações de perigo na área benfiquista a um ritmo impressionante, e Lucho poderia ter feito o terceiro, ainda aos 18 minutos, na execução de um “chapéu” que ficou curto. Só uma sequência de faltas, apontadas invariavelmente na mesma direcção, relançou o Benfica, numa coincidência agradável para quem apenas incomodava de “bola parada”. Assim acertou nos postes da baliza de Bracali e assim marcou, a três minutos do intervalo e um segundo depois de um derrube ostensivo de Luisão a Sapunaru.

Compunha-se, desta forma, o equilíbrio, replicado na segunda parte, então mais óbvio e natural, marcado por uma cadência de parada e resposta. Numa delas, especialmente rápida, Cardozo recuperou a vantagem "encarnada" aos 77 minutos. E novo empate teria, certamente, surgido, quando a corrida isolada de Hulk foi interrompida aos 86 minutos, por suposta posição irregular que a colocação de Capdevila, do lado contrário ao arranque do “Incrível”, negava só por si.

Ganhou o Benfica, mas o resultado poderia ter sido diferente. Bem diferente. De volta ao campeonato.

FICHA DE JOGO

Taça da Liga, meias-finais
20 de Março de 2012
Estádio da Luz, em Lisboa

Árbitro: Artur Soares Dias (Porto)
Árbitros assistentes: Rui Licínio e João Silva
Quarto árbitro: Rui Costa

BENFICA: Eduardo; Maxi Pereira, Luisão, Jardel e Capdevila; Javi García, Witsel e Bruno César; Aimar, Nolito e Nélson Oliveira
Substituições: Bruno César por Gaitán (56m), Nélson Oliveira por Cardozo (66m) e Aimar por Saviola (73m)
Não utilizados: Artur, Matic, Miguel Vítor e Luís Martins
Treinador: Jorge Jesus

FC PORTO: Bracali; Sapunaru, Rolando, Mangala e Alex Sandro; João Moutinho, Defour e Lucho; Hulk, Kléber e Alvaro
Substituições: Lucho por James (63m), Kléber por Janko (72m) e Alex Sandro por Iturbe (85m)
Não utilizados: Kadú, Maicon, Otamendi e Varela
Treinador: Vítor Pereira

Ao intervalo: 2-2
Marcadores: Maxi Pereira (4m), Lucho (8m), Mangala (17m), Nolito (42m), Cardozo (77m)
Cartão amarelo: Alex Sandro (23m), Mangala (41m), Javi García (70m), Luisão (75m), Witsel (80m), Nolito (87m), Capdevila (88m), Alvaro (90m+1)

segunda-feira, 19 de março de 2012

domingo, 18 de março de 2012

FIM DE SEMANA

RESULTADOS DO FIM DE SEMANA

Nacional - Porto 0-2 futebol dia 16-3
Porto - Vitória SC 4-3 futebol junior dia 17-3
Braga - Porto sub15 futebol junior dia 18-3
Liceo Corunha - Porto 2-3 Hoquei Patins dia 17-3
Porto - Aguas Santas 29-27 Andebol dia 17-3
Barreirense - FC Porto Basquetebol dia 15-3
Benfica - Porto 62-66 Basquetebol dia 17-3
Academica -Porto 58-47 Final T/Portugal Basquetebol dia 18-3

BASQUETEBOL -FINAL DA TAÇA DE PORTUGAL


A 13.ª Taça já mora no Dragão

O FC Porto Ferpinta conquistou este domingo a sua 13.ª Taça de Portugal, ao bater a Académica por 58-47, em Fafe. Este é o sétimo troféu dos azuis e brancos conquistado pelo treinador Moncho López, no espaço de 26 meses. Nesta época, os Dragões participaram nas finais de todas as competições, tendo já três títulos: a Taça junta-se à Supertaça e à Taça Hugo dos Santos.

Os azuis e brancos, que tinham sido eliminados da competição, na época passada, exactamente pela Académica, reconquistam um título erguido pela última vez em Março de 2010, no Entroncamento. Pelo caminho, nesta "final 8", ficaram Barreirense e Benfica, vergados pelo querer de um grupo de verdadeiros campeões, que acumulam troféus. Greg Stempin, eleito MVP da final (16 pontos e dez ressaltos) merece destaque e personificou a ambição do grupo.

A partida nem sempre foi bem jogada e caracterizou-se pela luta e garra das duas equipas. Se bem que o FC Porto tenha mostrado mais argumentos, é justo sublinhar que a Académica nunca baixou os braços. Os Dragões entraram melhor no jogo, mostrando uma defesa agressiva e dominando as tabelas. Aos cinco minutos venciam por 11-1 e, no final do primeiro período, o resultado era de 16-5.

O segundo período foi algo incaracterístico, sendo que o jogo exterior da Académica começou a funcionar e permitiu a aproximação dos “estudantes” no marcador. Ao intervalo, o FC Porto vencia por 25-20, uma pontuação baixa e que espelha o perfil do jogo.

A dois minutos e 44 segundos do final do terceiro período, a equipa de Coimbra chegou ao empate (33-33), mas um parcial de 8-0 dos Dragões revelou-se decisivo. Reggie Jackson, com seis desses pontos (uma jogada de dois pontos e falta e um triplo) teve uma acção determinante. O terceiro período concluiu-se com 41-35 no marcador.

No último parcial, a Académica foi impedindo o FC Porto de se afastar do marcador, até que, a quatro minutos do fim, uma falta antidesportiva de Curtis Terry (quando Stempin seguia sem oposição para o cesto) permitiu aos azuis e brancos passar o marcador de 45-40 para 49-40. Um triplo de José Costa (52-40), a dois minutos e meio do fim, sentenciou definitivamente a final.

FICHA DE JOGO

FC Porto Ferpinta-Académica, 58-47
Taça de Portugal, final
18 de Março de 2012
Pavilhão Municipal de Fafe

Árbitro principal: Sérgio Silva
Árbitros auxiliares: José Abreu e Fernando Rezende

FC PORTO FERPINTA (58): Reggie Jackson (6), Carlos Andrade (8), João Santos (8), Robert Johnson (12) e Gregory Stempin (16), Diogo Correia, Miguel Cardoso, José Costa (3), João Soares, Miguel Miranda (5) e David Gomes
Treinador: Moncho López

ACADÉMICA (47): Diogo Simões (4), Curtis Terry (16), Arnett Hallman (2), Fernando Sousa (2) e Rolando Howell (8), Carlos Barroca (6), Richard Oruche (3), Delano Thomas (6) e Marco Gonçalves
Treinador: Orlando Simões

Ao intervalo: 25-20
Por períodos: 16-5, 9-15, 16-15 e 17-12