quarta-feira, 23 de maio de 2012

Na hora da despedida Cristian Rodríguez


Pinto da Costa «é um senhor»; «Desentendi-me com Moutinho»
FC Porto, Cristian Rodríguez, Pinto da Costa, Vítor Pereira |

Na hora da despedida do Dragão, Cristian Rodríguez confessa que «houve um desentendimento, como muita gente se desentendeu no decorrer do ano». O uruguaio lamenta a saída do reino azul e branco, fala da entrada de Vítor Pereira e diz, ainda, que Pinto da Costa «é um senhor».
«É um senhor, um excelente presidente e um grande homem. Gostei muito da forma como me tratou e como tem liderado o clube. Todos gostam dele e não estou a dizer isto por ser puxa-saco, apenas digo aquilo que sinto», revelou Cristian Rodríguez.
©Catarina Morais
O uruguaio, que trocou a Luz pelo Dragão em 2007/08, não esconde os motivos da sua saída: «O que aconteceu é normal em todos os clubes do mundo. Não houve agressão, apenas nos desentendemos, como muita gente se desentendeu no decorrer do ano, e sobrou para mim. Acontece em todo o lado, às vezes há equívocos».
«Cebola» lamenta a forma como deixa o estádio do Dragão.
«Gostava de ter festejado o título, é sempre bom para um jogador sentir o calor dos adeptos. Recebi a medalha de campeão que o Álvaro Pereira trouxe e agradeço-lhe muito por esse gesto porque sem ele não teria recebido nada. Não foi fácil sair da forma como saí, depois de quatro anos e dez títulos conquistados, mas pronto...», lamentou Cristian Rodríguez ao jornal O Jogo.
     Não houve agressão, apenas nos desentendemos, como muita gente se desentendeu no decorrer do ano
Sem meias palavras, nesta entrevista, o uruguaio não nega que a entrada em cena de Vítor Pereira foi «complicada».
«Foi uma transição um pouco complicada. Acho que ninguém esperava que o Vítor Pereira fosse ficar depois da saída do André Villas-Boas. Ser treinador adjunto e passar a principal são coisas diferentes. Como adjunto, tivemos sempre mais confiança. Era muito bom adjunto e brincávamos sempre uns com os outros. Depois, na pele de treinador principal, tomar certas decisões tornou-se muito mais difícil. As brincadeiras deram lugar a um homem mais sério e essa foi a diferença», observou Rodríguez que deixa um elogio ao técnico campeão nacional: «Agora, não deixa de ser muito bom treinador e a esse respeito não tenho nada que dizer».
Cristian Rodríguez passou quatro épocas de Dragão ao peito, após uma curta passagem pelo Benfica.