quinta-feira, 14 de junho de 2012

PORTUGAL - DINAMARCA 3-2


A salvação saiu do banco

Portugal venceu a Dinamarca, esta quarta-feira, por 3-2, em Lviv, na segunda jornada do grupo B. Um golo do suplente Varela, aos 87 minutos, salvou a Seleção Nacional, depois de Portugal desperdiçar uma vantagem de dois golos.

Foi um jogo de emoções fortes. Portugal foi quase perfeito, esteve a vencer por 2-0, mas dois golos de Bendtner empataram a partida e deixaram a equipa das quinas com um pé fora do Euro. Aqui apareceu Silvestre Varela. O jogador do FC Porto redimiu-se da oportunidade falhada com a Alemanha e apontou o golo da vitória.

Paulo Bento apostou na mesma equipa que perdeu com a Alemanha e não se arrependeu. A Seleção Nacional dominou na primeira parte, comandada pelas pernas de Nani e pelo coração (e cabeça) de Pepe. O central abriu o caminho ao triunfo, com um golo fulgurante de cabeça, após canto de Moutinho. Dez minutos depois, Nani descobriu Postiga e o avançado, dos mais criticados na equipa, assinou o 2-0.

Tudo corria de feição a Portugal, mas um erro defensivo deixou Krohn-Dehli sozinho na área e Bendtner só teve de encostar.

A segunda parte foi equilibrada, mas com as melhores oportunidades a pertencerem a Portugal Mas não foi o jogo de CR7. O avançado do Real Madrid desaproveitou duas situações incríveis, isolado na cara de Andersen, a segundo um minuto antes do empate de Bendtner.

O golo de Varela acabou por salvar a honra lusa e... o próprio Cristiano Ronaldo. A Seleção continua viva no Euro 2012 e irá discutir o apuramento para os quartos-de-final no domingo, com a Holanda.

FOTOGRAFIAS DO PORTUGAL DINAMARCA










FOTOGRAFIAS DO PORTUGAL DINAMARCA















terça-feira, 12 de junho de 2012

FOTOGRAFIAS DO POLONIA - RUSSIA




















POLONIA - RUSSIA 1-1


Deu empate, não podiam ganhar os dois


Polónia e Rússia empataram a uma bola, na 2.ª jornada do grupo A, e adiaram as contas do apuramento para a última ronda, naquele que foi dos melhores jogos até agora do Euro-2012 e que teve, sem dúvida, o golo da competição até agora, marcado por Blaszczykowski.

Os russos, que podiam hoje garantir a passagem para os quartos-de-final, ainda se adiantaram no marcador mas a equipa da casa, graças a uma 2.ª parte de grande nível, justificaram o empate e até partiram para cima do líder do grupo em busca do triunfo, que seria mesmo o primeiro em fases finais de Campeonatos da Europa.

Já os russos, depois da goleada na estreia, diante da República Checa (4-1), entraram na expectativa e, depois de verem a estratégia dos polacos, arrancaram para uns belos 45 minutos, com muita velocidade a meio-campo e com lançamentos longos para o ataque. Ainda assim, seria de bola parada, aos 37 minutos, que Dzagoev, de cabeça, iria inaugurar o marcador, fazendo o terceiro golo da sua conta pessoal neste Campeonato da Europa.

Na segunda parte, porém, tudo foi diferente. A estratégia dos polacos não mudou, é certo, mas a raça e atitude acabaram por ditar leis. E se houve coração polaco em Varsóvia, o golo de Blaszczykowski, capitão de equipa, foi exemplo claro disso: uma arrancada pelo lado direito, aos 57 minutos, derivando para o meio e, à entrada da área, com um remate fortíssimo e bem colocado que não deu qualquer hipótese a Akinfeev.

Aos 79 minutos houve ainda tempo para Izmailov, médio do Sporting, estrear-se na competição, substituindo o esgotado Dzagoev, numa altura em que os russos tentavam manter a posse de bola para ainda dependerem só de si para o apuramento. É que houve Polónia, muito mais Polónia em Varsóvia na segunda parte.

Fotografias do GRECIA - REP CHECA